O destino de Diego o esperava naquele bar em Itu.

O Destino colocou sua fria mão sobre o ombro de Diego. Ele não é o tipo do homem responde que não tem coragem. Um conhecido seu da Cidade Nova chegou até ele e Maicon e intimou-os: “E aí? Vocês tem coragem de entrar na fita?” A resposta dos dois foi imediata. A sombra do Destino não deixou mais a companhia dos dois ituanos: Diego Oliveira Lima Costa e Maicon Santanin Petrolino.

O mecânico Diego estava passando apertado aquele fim de mês e conversava justamente sobre isso com Maicon, quando aquele cara lhes fez a proposta. Se Deus escreve certo por linhas tortas, o Diabo faz sua marca na hora e lugar exatos.

• Talvez em outro momento... tivesse dito não.
• Talvez em outras condições.... tivesse dito não.
• Talvez em outro local.... tivesse dito não.
• Talvez se tivesse em outra companhia... tivesse dito não.
• Mas naquele fim de mês, duro, no bar e ao lado de Maicon.... então ele disse sim.

Drª. Elisa Lopes tenta argumentar perante o juiz de direito Dr. Hélio Villaça Furukawa:Ele é um metalúrgico, primário, estava desarmado, não ameaçou ninguém, e foi um pequeno furto de quantia mínima, como está fartamente demonstrado no transcorrer da instrução processual.”

Dr. Hélio lembra-se bem da cena descrita pela andirense proprietária do Beto’s Lanche:

Tudo aconteceu na quarta-feira, por volta das onze da noite, ela estava ao balcão servindo aos clientes quando entraram dois rapazes aparentando pouco mais de vinte anos e anunciando o assalto. O jovem narigudo estava armado mandou-a colocar o dinheiro no balcão e eu obedeci. Eles recolheram o dinheiro colocando nos bolsos, mais ou menos trezentos reais. Os ladrões desconfiaram de um rapaz que estava esperando o lanche no balcão. Quando mandaram que ele levanta-se a camiseta, o rapaz puxou uma arma e gritou: polícia! O bandido com a arma começou a atirar com seu 38 niquelado e só não acertou a cabeça do policial por que este se jogou no chão. Houve então um tiroteio, mas eu e muitos clientes já estavamos no chão e nada mais vimos.

As câmaras de segurança do estabelecimento mostram passo a passo a malfadada tentativa de assalto da dupla, e de fato, Diego não era o narigudo que estava armado, este era o Maicon.

O Destino às vezes se diverte com aqueles que ele escolhe como companheiros. Apesar de baleados, Diego e Maicon, conseguem escapar. Retornam para a Cidade Nova onde já quase desfalecidos são socorridos pelo GCM Arlindo da Guarda Civil Municipal de Itu. São levados ao PAM da Vila Martins, de lá para a Santa Casa e de lá para longe do convívio da sociedade.

Agora caberá a ele, juiz de direito, determinar o destino da dupla.

(Veja esta mesma matéria focando em Maicon)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu relato, ele é muito importante para que eu possa corrigir erros e rumos, e saber a sua opinião.

Só serão mantido os comentários argumentativos ou com conteúdo considerado relevante, seja apoiando ou refutando fatos ou ideias do texto.

Se considerar importante alterarei o texto original citando o crédito para o comentarista.

última publicação:

Imagem é tudo: os facciosos do PCC como vilões

Os ataques do PCC acabaram, mas o pior vem agora Eu aguardei o fim dos ataques promovidos pelo Primeiro Comando da Capital para fazer ...