Rebelião em Bauru termina sem mortos ou feridos.


A rebelião no Centro de Progressão Penitenciária de Bauru se iniciou por volta das sete e meia da manhã de hoje (24/01) alguns agentes penitenciários ASPs fugiram para aguardar o reforço policial do lado de fora do semiaberto.

Segundo Gilson Pimentel Barreto, presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, a rebelião começou quando três agentes penitenciários tentaram retirar um detento que estava portando um celular, a população passou a proteger o colega e os ASPs tiveram que desistir de retirá-lo.

Com a revolta 152 presos fugiram, sendo que pelo menos a metade já foram recapturados. Nenhum preso ou agente penitenciário foi morto ou ferido em confronto durante a rebelião, apenas alguns presos acabaram tiveram ferimentos leves durante a fuga ou os corres da revolta.

Como não há mais condições de ocupar parte do CPPIII, pois dois pavilhões estão parcialmente destruídos, 800 detentos serão transferidos, e dez dos recapturados responderão por formação de quadrilha e danos ao patrimônio e voltarão ao regime fechado com provável perda de benefícios.

Essa ação não tem ligação com a Guerra de Facções e não foi planejada pelo Primeiro Comando da Capital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu relato, ele é muito importante para que eu possa corrigir erros e rumos, e saber a sua opinião.

Só serão mantido os comentários argumentativos ou com conteúdo considerado relevante, seja apoiando ou refutando fatos ou ideias do texto.

Se considerar importante alterarei o texto original citando o crédito para o comentarista.

última publicação:

PCC e caminhoneiros — FALSO SALVE GERAL

Está correndo nas redes sociais um suposto Salve da facção Primeiro Comando da Capital , PCC 1533, constando a assinatura do Geral dos E...