Pular para o conteúdo principal

Drogas em Casa, um direito de todos.

Dois trabalhadores são presos. Seus defensores alegam que eles "são pessoas humildes, de baixa instrução e que caíram no caminho das drogas" : o bicicleteiro Douglas Santana Viana e o decorador Cristian José Pereira Pinto.

Flagrados com mais de uma dezena de porções de maconha e de cocaína, no Bairro São José na cidade de Itu, disseram que a compraram de Bim Laden, um traficante que atuaria na entrada do Itaim.

Haveria uma festa, segundo um deles, e a droga lá seria consumida. Os advogados de ambos lembram que o próprio Promotor de Justiça ressaltou “... Douglas trazia consigo drogas ...”. Não existe qualquer impedimento para que o cidadão vá aonde for com seu entorpecente, afinal aqui é Brasil, terra dos bodes expiatórios e nação onde se tapa o Sol com a peneira.

Douglas e Cristian são assumidamente usuários, e seriam condenados apenas por estarem com quantia de entorpecentes acima do comum. Ninguém pode dizer qual a quantidade que indica o que é ou não tráfico. Estavam sim, e o admitem com dezenas de entorpecentes, mas eram deles e ninguém tem direito de se meter com isso.

Ingênuo seria de se imaginar que nos condomínios de alto luxo que existem no município a droga circule com uma paradinha por vez. A compra e a estocagem são feitas em quantidade, afinal, procura-se distanciar-se dos locais de comercialização.

Ambos são humildes e de baixa instrução, e por isso seriam condenados a só poderem ter consigo uma paradinha. Se pertencessem à outra classe social poderiam, em caso de uma improvável prisão, admitir que tivessem estoque para seu uso. Garantem os defensores que o Ministério Público não conseguirá provar o tráfico.

Os advogados de defesa, Dr. Luis Fernando Clauss Ferraz e Dr. Ricardo Ribeiro da Silva, ressaltam a importância de repensar o atual sistema, pois no caso da condenação dos dois trabalhadores por tráfico de drogas, seriam eles jogados na “escola do crime”, encarcerados em um destino onde “dela nunca mais sairão”.

Tornou-se utopia acredita que a prisão reeducará ou ressocializará aos dois amigos. Dr. Ricardo Ribeiro questiona: “... como reeducar quem nunca foi educado? Como ressocializar uma pessoa que foi esquecida pelo Estado, ...” Seria medida de Justiça que os dois fossem libertados.

Coube a Drª. Andrea Ribeiro Borges, juíza de direito da Comarca de Itu dar a resposta: ambos aguardam presos até o julgamento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estatuto do Primeiro Comando da Capital PCC 1533.

VEJA TAMBÉM O ESTATUTO PCC 1997
Revisto e atualizado em 2017.
A Sintonia Final comunica a todos os irmãos que foram feitas algumas mudanças necessárias em nosso Estatuto. O PCC foi fundado em 1993. Comemoramos esta data no dia 31 de agosto de todos os anos, mas 24 anos se passaram e enfrentamos várias guerras, falsos criminosos foram desmascarados, sofremos duros golpes, fomos traídos inúmeras vezes, perdemos vários irmãos, mas graças a nossa união conseguimos superar todos os obstáculos e continuamos crescendo.

Nós revolucionamos o crime impondo respeito através da nossa união e força que o certo prevalece acima de tudo com a nossa justiça, nós formamos a lei do crime e que todos nós respeitamos e acatamos por confiar na nossa justiça.

Nossa responsabilidade se torna cada vez maior porque somos exemplos a ser seguido.


Os tempos mudaram e se fez necessário adequar o Estatuto à realidade em que vivemos hoje, mas não mudaremos de forma alguma nossos princípios básicos e nossas diretrizes,…

Como se faz para entrar como membro do PCC.

Eu não concordei com o velho François-Marie Arouet ao dizer que se olharmos com os dois olhos, enxergaremos melhor: com um olho veríamos as coisas boas, com o outro as coisas ruins. Por isso, segundo ele, seria importante evitar fechar um para abrir bem o outro.

Meu velho François, leia com seus dois olhos bem abertos como se pode ingressar no Primeiro Comando e me diga: onde está o lado bom? Eu só conseguir ver o lado negro, mesmo sem ser caolho, por isso vou lhe contar o caso do irmão Cara de Bola.

Ele, que era torre do PCC e responsável pela distribuição das drogas na cidade de Indaiatuba, explicou com detalhes como se ingressa na facção, pois caiu em uma escuta ao ligar para o irmão Boquinha. Foi assim que ficamos sabendo de tudo:

Nepotismo

O irmão X tornou-se membro da facção por ser irmão de sangue do Tio, ou irmão M, um general na hierarquia do Primeiro Comando da Capital forte em em Indaiatuba, na época. Essa é uma das formas de ingresso: sendo parente de outros membros. Nem …

Quem são e o que fazem os disciplinas do PCC 1533?

Houve um tempo em que eu acreditava em um mundo ideal, onde a polícia defenderia as pessoas com justiça, mas esse tempo acabou. A pesquisadora Deborah Rio Fromm Tinta também não acredita que a força policial deva impor pela força sua autoridade…
"Logo me dei conta que uma rodinha de disciplinas estava por ali também. Fiquei mais tranquila. ... Vários pontos de conflito que emergiram foram apaziguados graças à mediação dos disciplinas." O humorista Márcio Américo, que certa época da vida foi um assíduo frequentador do local concorda:
"A polícia e a prefeitura apenas fingem ter controle do local, completamente dominado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), por “propaganda superficial” Deborah Rio, durante o trabalho de campo que fez em 2015 bem na conturbada Cracolândia ela acompanhou de perto a ação dos “disciplinas” do Primeiro Comando da Capital (PCC 1533) que negociaram com traficantes, usuários de drogas, jornalistas, policiais, e autoridades públicas.


Os disciplina…