Pular para o conteúdo principal

Qual a verdade sobre morte daquele mala pela PM?


A Srª. Bovaris vive me dizendo que o que agente assiste na TV é apenas mentirinha e não é para levar a sério. Falo isso aos senhores, pois me recuso a assistir aos CSIs, e os senhores vão concordar comigo ou com ela...
Nivaldo e seu comparsa renderam a filha de um dono de uma transportadora e roubaram dez mil reais de sua residência no ResidencialRio Araguaia em Itu. Ao fugir foram surpreendidos pela polícia, houve troca de tiros, Nivaldo morreu.
Seu comparsa disse que nunca houve a tal troca de tiros.
Ao assistirmos um programa como o CSI nós nos deparamos com tudo o que há de mais moderno e que já está disponível no mercado, não é ficção científica, é realidade, então é fácil desvendar este mistério através das análises periciais.
Será que os policiais brasileiros agem corretamente ao ultrapassar os próprios limites? Sem dúvida, se assim não o fizessem nosso país teria a muito virado um caos, a menos que todos os crimes fossem cometidos contra pessoas extremamente ricas, como os Nardonis e Aciolis.
Nivaldo morreu e é pobre, assim nunca saberemos a verdade.
A médica legista Drª. Regina Maria Caramuru Moreno examinou o corpo do rapaz e encontrou seis perfurações de entrada e duas de saída, mas sua colega a Drª. Edna Aparecida das Neves do Instituto Dr. Octávio Eduardo BritoAlvarenga não detectou nenhum resquício de chumbo nem nas mãos do falecido nem na do seu comparsa.
Se estivéssemos em um CSI concluiríamos que a troca de tiros não houve, comprovando a versão de Lucas, o comparsa de Nivaldo: os policiais atiraram deliberadamente e sem provocação em Nivaldo.
O material para a perícia foi retirado das mãos dos assaltantes e policiais menos de vinte e quatro horas depois dos tiros, mas... nas mãos dos policiais que nunca negaram que atiraram também não foram encontrados resíduos de pólvora!?!
Então podemos concluir que este exame feito por testes científicos sobre o método de Feigl-Sutter (exames residuográficos metálicos - residuais) não provou absolutamente nada, apesar de que no CSI consegue-se saber até a quantidade de tiros, o tempo entre um disparo e outro, e tantos outros detalhes, mesmo nos casos em que os suspeitos tentam esconder a verdade.
A perita criminal Drª. Ariadne Araújo Pinheiro Schemer esclareceu ao juiz de direito Dr. Hélio Villaça Furukawa que a princípio a conclusão sobre o resultado negativo do exame é a de que não houve disparo de arma de fogo, mas também pode ser que a concentração de chumbo ficou abaixo dos limites e não pode ser detectado, e neste caso, a conclusão sobre o fato fica condicionada a apreciação de outras evidências, não podendo sequer descartar a possibilidade de que os examinados tenham efetuado o disparo.

Intão, o que os peritos disseram em outras palavras é que a Srª Bovaris está certa e CSI é apenas mentirinha, e eu acho que eu estou certo ao não assistir ao seriado, pois qualquer um ficaria envergonhado em viver em um país onde os políticos roubam tanto que não existe verba nem para saber se Nivaldo e tantos outros foi brutalmente assassinado, ou não.

Mas ele é pobre, não faz diferença. Ah! Se fosse um de nossa família fosse morto por um bandido ou em outra situação qualquer seria diferente?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como se faz para entrar como membro do PCC.

Eu não concordei com o velho François-Marie Arouet ao dizer que se olharmos com os dois olhos, enxergaremos melhor: com um olho veríamos as coisas boas, com o outro as coisas ruins. Por isso, segundo ele, seria importante evitar fechar um para abrir bem o outro. Meu velho François, leia com seus dois olhos bem abertos como se pode ingressar no Primeiro Comando e me diga: onde está o lado bom? Eu só conseguir ver o lado negro, mesmo sem ser caolho, por isso vou lhe contar o caso do irmão Cara de Bola. Ele, que era torre do PCC e responsável pela distribuição das drogas na cidade de Indaiatuba , explicou com detalhes como se ingressa na facção, pois caiu em uma escuta ao ligar para o irmão Boquinha . Foi assim que ficamos sabendo de tudo: Nepotismo O irmão X tornou-se membro da facção por ser irmão de sangue do Tio , ou irmão M , um general na hierarquia do Primeiro Comando da Capital forte em em Indaiatuba, na época. Essa é uma das formas de ingresso: sendo parente de outros

Como se faz para sair do PCC?

Se tá de sacanagem né, você acha que o Primeiro Comando da Capital é putaria? Entra quando quer, sai a hora que quer, de boa? Não é bem assim não, se virou crente e quer tirar a camisa, ou tem alguma coisa com tua família... Vou falar pra você, essas são as perguntas que mais aparecem por aqui, e eu falo para procurar o sintonia e trocar ideia, é assim que se faz. Mas por que não escrevi sobre isso antes? Por que eu fico na minha, só que agora fui cobrado, alguém leu no site do Terra que é putaria e acharam que fui eu: Quando sair, tem que rasgar a camisa e ficar de boa", diz um homem por telefone, após ser retrucado por uma mulher investigada: "Não tem que rasgar a camisa, não; tem que arrancar a cabeça dele" PCC decide permitir que integrantes deixem facção Meu, quem falou essa idiotice foi o site Terra que começa mais ou menos assim: "Pela primeira vez desde que surgiu nas prisões paulistas, no início da década de 1990, a organização criminosa Primeir

Quem são e o que fazem os disciplinas do PCC 1533?

Houve um tempo em que eu acreditava em um mundo ideal, onde a polícia defenderia as pessoas com justiça, mas esse tempo acabou. A pesquisadora Deborah Rio Fromm Tinta  também não acredita que a força policial deva impor pela força sua autoridade… "Logo me dei conta que uma rodinha de disciplinas estava por ali também. Fiquei mais tranquila.  ...  Vários pontos de conflito que emergiram foram apaziguados graças à mediação dos disciplinas." O humorista Márcio Américo, que certa época da vida foi um assíduo frequentador do local concorda: "A polícia e a prefeitura apenas fingem ter controle do local, completamente dominado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), por “propaganda superficial” Deborah Rio, durante o trabalho de campo que fez em 2015 bem na conturbada Cracolândia ela acompanhou de perto a ação dos “disciplinas” do Primeiro Comando da Capital (PCC 1533) que negociaram com traficantes, usuários de drogas, jornalistas, policiais, e autoridades públicas.