Pular para o conteúdo principal

O tráfico no Jardim Novo Itu e na Favela do Issac.


Acompanhei aquele homem ao Inferno, e como Dante Alighieri já havia reparado a descida às profundezas foi fácil, mas assim como ele, eu vi que o difícil seria retornar ao mundo dos vivos.

Júlio César, o Preto, meu companheiro de viagem é hoje um vencedor, governando do Inferno o mundo dos vivos. A Penitenciária de Avaré é o seu lar, e ele é um rei num vale de lágrimas.

Júlio César é um exemplo de sucesso, e se poucos sabem sobre a abrangência e a força do PCC que ele lidera, não é por ser segredo, mas por que ninguém quer ver. Às vezes sinto como se a facção criminosa fosse um espírito invisível, mas até entendo o por quê: se Deus e o Diabo com todo o poder que têm são ignorados como se não existissem, quem dirá o PCC de Itu.

Ouvi outro dia um senhor, que trabalha naquele bonito prédio da Gaplan no Jardim Novo Itu dizer que a Guarda Civil Municipal deveria prender aqueles moleques que se drogavam e comercializavam drogas no grande terreno por lá, e sugeria inclusive à ação tática que deveria ser usada.

Era mais ou menos assim: ...se vocês invadirem por todos os lados, os nóias serão encurralados no centro e pronto, todo mundo preso.


Acho que ele não percebeu que o problema é um pouco mais complexo, e que aqueles garotos nada mais são que usuários e aviõezinhos do tráfico. Se fossem presos, na mesma tarde outros estariam em seus lugares.

Aquela região abrangendo o Jardim Novo Itu, Favela do Isaac, e Bairro Liberdade, foi comprada por R$ 10.000,00, pago à prestação por João Carlos, o Bola de Fogo ou Gordinho, de Júlio César.

O bonito apelido de Bola de Fogo foi escolhido por sua mulher Aline, quando em 18/11/08 foi ele foi batizado no PCC, após passar pela prova de fidelidade ao assassinar um cara conhecido como Thiago.

Da janela daquele bonito prédio, aquele senhor não vê Bola de Fogo, no máximo pode ver algumas fagulhas. Muito menos veria Júlio César, quem abastece as drogas e vendeu o direito exclusivo de venda na região.

O poder que Bola de Fogo recebeu de Júlio César não se restringe apenas ao comércio. Ele conquistou o direito de controlar a disciplina na cidade. Eu tinha minhas dúvidas quanto a isso, mas um dia ouvi Júlio César perguntar ao Bola de Fogo quem era que estava na sintonia da cidade e o outro respondeu: “É eu que sou o geral aqui mano”.
                                            
O guarda não quis falar nada não, mas aquele senhor, em seu prédio de vidro vive em um mundo de fantasia. Quem controla não só a região de seu prédio, mas toda a cidade é o Bola de Fogo. É só pedir para ele que os nóias sairão de lá.

Todos estavam contentes com a nova administração feita por Bola de Fogo na distribuição de drogas na região, afinal ele batalhava para não deixar seus fregueses na mão. Um dia desses ele mandou uns moleques buscarem drogas que estavam em falta no estoque da Favela do Isaac.

Quando chegaram no Jardim Vitória para pegar encontraram as portas fechadas, sem ninguém para atender. Bola de Fogo não teve dúvidas, ligou direto para o patrão, lá na Penitenciária de Avaré.

Júlio César também aconselha ao seu afiliado: Se estrutura no barato aí mano é a maior satisfação pra mim mano, amanhã ou depois é ver você estruturado aí mano, se eu chegar em você e falar pô, empresta uma arma pra mim, pra eu sair fora desse inferno aqui cara e você me emprestar é a maior satisfação ver você lindo e elegante, mantendo as caminhadas e indo pra cima da situação, ter a organização mano, os moleques que tão do seu lado tem que tê bala na agulha de verdade mesmo.”

Acompanhei Júlio César ao Inferno, a descida às profundezas foi fácil, difícil está sendo nosso retorno ao mundo dos vivos. Bola de Fogo, que confiamos para isso está preso desde 21/08/09 na Penitenciária de Casa Branca.

Não sei se aquele senhor do prédio bonito acredita em Deus e no Diabo, afinal são invisíveis, mas não arrisque pensar ele que Júlio César e Bola de Fogo só existem na minha imaginação, ou que só por não estarem de corpo presente, seus espíritos não possam assombrá-lo por aqui.

E prova disso é que apesar dos diversos processos e diversas condenações, Júlio César já anda entre os homens livres, enquanto eu continuo por aqui, em busca de entender esta sociedade, e dos senhores que estão aí achando que estão livres, mas ficam pressos em seus medos e reféns destes verdadeiros senhores dos seus destinos.

Comentários

  1. Depois de vários anos preso, Julio César dos Santos que foi apontado como sendo chefe do esquema de trafico de drogas e do PCC do Jardim Vitória já está livre. Ainda não pagou tudo o que a Justiça lhe impôs, mas já teve o direito a liberdade relativa, enfim pode sair do Inferno e voltar para o aconchego da sociedade. Atualmente ainda está meio reticente de voltar a circular pelas ruas, talvez temendo represália policial, talvez para poder refletir melhor sobre seu futuro, ou quem sabe o que.

    Ao que consta não houve mudanças na hierarquia de distribuição de entorpecentes na região do Jardim Vitória, então talvez ele continue na liderança como já foi acusado, ou talvez não.

    O caso do assassinato dos dois carinhas que estavam... digamos... mosqueando próximo aquela conhecida biqueira no Jardim Vitória, seria uma ação de uma suposta equipe de justiceiros que já teria atuado utilizando o mesmo modus operandis na Cidade Nova no final do ano passado, agora vai de saber como o chefe vai reagir, se é que vai.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu relato, ele é muito importante para que eu possa corrigir erros e rumos, e saber a sua opinião.

Só serão mantido os comentários argumentativos ou com conteúdo considerado relevante, seja apoiando ou refutando fatos ou ideias do texto.

Se considerar importante alterarei o texto original citando o crédito para o comentarista.

Postagens mais visitadas deste blog

Estatuto do Primeiro Comando da Capital PCC 1533.

VEJA TAMBÉM O ESTATUTO PCC 1997
Revisto e atualizado em 2017.
A Sintonia Final comunica a todos os irmãos que foram feitas algumas mudanças necessárias em nosso Estatuto. O PCC foi fundado em 1993. Comemoramos esta data no dia 31 de agosto de todos os anos, mas 24 anos se passaram e enfrentamos várias guerras, falsos criminosos foram desmascarados, sofremos duros golpes, fomos traídos inúmeras vezes, perdemos vários irmãos, mas graças a nossa união conseguimos superar todos os obstáculos e continuamos crescendo.

Nós revolucionamos o crime impondo respeito através da nossa união e força que o certo prevalece acima de tudo com a nossa justiça, nós formamos a lei do crime e que todos nós respeitamos e acatamos por confiar na nossa justiça.

Nossa responsabilidade se torna cada vez maior porque somos exemplos a ser seguido.


Os tempos mudaram e se fez necessário adequar o Estatuto à realidade em que vivemos hoje, mas não mudaremos de forma alguma nossos princípios básicos e nossas diretrizes,…

Como se faz para entrar como membro do PCC.

Eu não concordei com o velho François-Marie Arouet ao dizer que se olharmos com os dois olhos, enxergaremos melhor: com um olho veríamos as coisas boas, com o outro as coisas ruins. Por isso, segundo ele, seria importante evitar fechar um para abrir bem o outro.

Meu velho François, leia com seus dois olhos bem abertos como se pode ingressar no Primeiro Comando e me diga: onde está o lado bom? Eu só conseguir ver o lado negro, mesmo sem ser caolho, por isso vou lhe contar o caso do irmão Cara de Bola.

Ele, que era torre do PCC e responsável pela distribuição das drogas na cidade de Indaiatuba, explicou com detalhes como se ingressa na facção, pois caiu em uma escuta ao ligar para o irmão Boquinha. Foi assim que ficamos sabendo de tudo:

Nepotismo

O irmão X tornou-se membro da facção por ser irmão de sangue do Tio, ou irmão M, um general na hierarquia do Primeiro Comando da Capital forte em em Indaiatuba, na época. Essa é uma das formas de ingresso: sendo parente de outros membros. Nem …

Quem são e o que fazem os disciplinas do PCC 1533?

Houve um tempo em que eu acreditava em um mundo ideal, onde a polícia defenderia as pessoas com justiça, mas esse tempo acabou. A pesquisadora Deborah Rio Fromm Tinta também não acredita que a força policial deva impor pela força sua autoridade…
"Logo me dei conta que uma rodinha de disciplinas estava por ali também. Fiquei mais tranquila. ... Vários pontos de conflito que emergiram foram apaziguados graças à mediação dos disciplinas." O humorista Márcio Américo, que certa época da vida foi um assíduo frequentador do local concorda:
"A polícia e a prefeitura apenas fingem ter controle do local, completamente dominado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), por “propaganda superficial” Deborah Rio, durante o trabalho de campo que fez em 2015 bem na conturbada Cracolândia ela acompanhou de perto a ação dos “disciplinas” do Primeiro Comando da Capital (PCC 1533) que negociaram com traficantes, usuários de drogas, jornalistas, policiais, e autoridades públicas.


Os disciplina…