Pular para o conteúdo principal

Polícia prende, delegado solta para poder prender.


Certamente não há, no Jardim Faculdade em Itu, quem não tenha ouvido falar do tarado que por lá incomoda mulheres e crianças. Há muito a policia busca identificar e prender tal depravado, ou doente, como preferirão os politicamente corretos.

Folgo em ver a notícia no jornal Folha da Cidade, dando conta da identificação do maníaco, trabalho realizado pelas agentes da Polícia Civil da Delegacia da Mulher de Itu, onde foi ouvido perante a autoridade policial e responderá por mais este crime.

Chega-nos às mãos, trazido pelo Dr. Leandro de Campos Bochini, que acompanha o caso a pedido do autor de uma denúncia protocolada na Promotoria de Justiça da Cidade de Itu de data anterior à prisão: 13 horas do dia 09 de julho de 2010, onde se lê:

... finalmente no dia 4 de fevereiro ele foi capturado pela Guarda Municipal, mas não ficamos livres do problema, pois em poucas horas já estava o mesmo de volta ao local. Inconformado fui à sede da Guarda Municipal, ... mas fui informado que a ordem (de liberar o maníaco) veio do delegado de polícia. ... Se de fato a coisa ocorreu de acordo com o documento que me passaram, realmente foi o delegado que deu a ordem por telefone para soltá-lo sem fazer o boletim de ocorrência.
Fui até o Fórum para ver se tinha dado entrada lá um processo em nome de Egídio Nascimento da Silva, indivíduo que foi reconhecido pelas mulheres. Qual a minha surpresa em ver que ele já respondeu a outros três processos, um pelo menos de natureza sexual ...
Minha inconformidade é que agora nem mesmo pegando em flagrante o delegado faz o BO. Solicito à Vossas Excelências que avaliem o procedimento de ambas as corporações envolvidas Polícia Civil e Guarda Municipal.
Informo também que em contato com um policial militar que de outra vez me atendeu neste mesmo caso que é comum os delegados de plantões dispensarem as ocorrências que não estão a fim de fazer, por telefone mesmo decide soltar os acusados...

Anexo consta um Talão de Ocorrência da Guarda Civil Municipal de 04 de fevereiro, onde o GCM Wederson relata ter prendido Egídio, de 24 anos, funcionário do Restaurante Via Brasil no Bairro Vila Nova, que foi localizado em um terreno baldio na rua Mosteiro da Conceição, vestindo calça jeans e camiseta escura, conforme denúncia de uma vítima. Conduzido á Delegacia Central, “a escripol Renata, em contato com a autoridade de plantão, esta pediu que liberasse o averiguado e que as vítimas prestassem queixa pela DDM em data posterior.”

É cada vez mais comum a recusa na elaboração dos Boletins de Ocorrências por parte da Polícia Civil, reclamação constante na Promotoria de Justiça de Itu. No entanto, as barreiras estariam sendo impostas por recomendação da Seccional de Sorocaba, como forma de minimizar os problemas causados com a falta de pessoal nas delegacias.

Existem razões que a razão não compreende. Prender, soltar e depois investigar para descobrir quem seria e onde estaria um criminoso que já tinha sido preso, nos parece ser o caso.

De qualquer forma a DDM conseguiu sua manchete no jornal Folha da Cidade: "Policiais da Delegacia da Mulher descobrem quem é o 'tarado do Jardim Faculdade'".

Comentários

  1. Bom, tenho sérias restrições para opinar a fundo sobre justiça no Brasil. Mas pelo que entendi o delegado tinha certeza de que nada seria feito, então não perdeu seu tempo em fazer um B.O.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu relato, ele é muito importante para que eu possa corrigir erros e rumos, e saber a sua opinião.

Só serão mantido os comentários argumentativos ou com conteúdo considerado relevante, seja apoiando ou refutando fatos ou ideias do texto.

Se considerar importante alterarei o texto original citando o crédito para o comentarista.

Postagens mais visitadas deste blog

Como se faz para entrar como membro do PCC.

Eu não concordei com o velho François-Marie Arouet ao dizer que se olharmos com os dois olhos, enxergaremos melhor: com um olho veríamos as coisas boas, com o outro as coisas ruins. Por isso, segundo ele, seria importante evitar fechar um para abrir bem o outro. Meu velho François, leia com seus dois olhos bem abertos como se pode ingressar no Primeiro Comando e me diga: onde está o lado bom? Eu só conseguir ver o lado negro, mesmo sem ser caolho, por isso vou lhe contar o caso do irmão Cara de Bola. Ele, que era torre do PCC e responsável pela distribuição das drogas na cidade de Indaiatuba , explicou com detalhes como se ingressa na facção, pois caiu em uma escuta ao ligar para o irmão Boquinha . Foi assim que ficamos sabendo de tudo: Nepotismo O irmão X tornou-se membro da facção por ser irmão de sangue do Tio , ou irmão M , um general na hierarquia do Primeiro Comando da Capital forte em em Indaiatuba, na época. Essa é uma das formas de ingresso: sendo parente de outros

Como se faz para sair do PCC?

Se tá de sacanagem né, você acha que o Primeiro Comando da Capital é putaria? Entra quando quer, sai a hora que quer, de boa? Não é bem assim não, se virou crente e quer tirar a camisa, ou tem alguma coisa com tua família... Vou falar pra você, essas são as perguntas que mais aparecem por aqui, e eu falo para procurar o sintonia e trocar ideia, é assim que se faz. Mas por que não escrevi sobre isso antes? Por que eu fico na minha, só que agora fui cobrado, alguém leu no site do Terra que é putaria e acharam que fui eu: Quando sair, tem que rasgar a camisa e ficar de boa", diz um homem por telefone, após ser retrucado por uma mulher investigada: "Não tem que rasgar a camisa, não; tem que arrancar a cabeça dele" PCC decide permitir que integrantes deixem facção Meu, quem falou essa idiotice foi o site Terra que começa mais ou menos assim: "Pela primeira vez desde que surgiu nas prisões paulistas, no início da década de 1990, a organização criminosa Primeir

Quem são e o que fazem os disciplinas do PCC 1533?

Houve um tempo em que eu acreditava em um mundo ideal, onde a polícia defenderia as pessoas com justiça, mas esse tempo acabou. A pesquisadora Deborah Rio Fromm Tinta  também não acredita que a força policial deva impor pela força sua autoridade… "Logo me dei conta que uma rodinha de disciplinas estava por ali também. Fiquei mais tranquila.  ...  Vários pontos de conflito que emergiram foram apaziguados graças à mediação dos disciplinas." O humorista Márcio Américo, que certa época da vida foi um assíduo frequentador do local concorda: "A polícia e a prefeitura apenas fingem ter controle do local, completamente dominado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), por “propaganda superficial” Deborah Rio, durante o trabalho de campo que fez em 2015 bem na conturbada Cracolândia ela acompanhou de perto a ação dos “disciplinas” do Primeiro Comando da Capital (PCC 1533) que negociaram com traficantes, usuários de drogas, jornalistas, policiais, e autoridades públicas.