"O futebol é o ópio do povo e o narcotráfico da mídia."(Millôr Fernandes)

O PCC está mantendo no controle.


O Primeiro Comando da Capital está intensificando sua presença no estado do Piauí onde diversas facções atuam, sendo que o Bonde dos 40 é aliado fiel, além desse ainda atuam por lá o Primeiro Comando de Esperantina, o Primeiro Comando de Campo Maior, e a Facção Criminosa de Teresina. Apesar de tensa a situação dentro do Sistema, o que está chamando a atenção para a região essa semana são as ameaças divulgadas por um agente penitenciário que foi feito refém durante uma rebelião comandada pelo PCC:

“Fui feito refém e o Primeiro Comando da Capital disse que só não ia me matar um a um caso o Estado atendesse às reivindicações que eles pleiteavam. Eles queriam ser transferidos para seus estados de origem. Depois dessa rebelião eles conseguiram o que queriam, que foi a volta para seus estados.”

O ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão afirmou que o atual ministro Alexandre de Moraes deverá manter uma política de acordos com o PCC dentro de sua linha de “conchavos com setores que são de alto risco para a sociedade, como a facção criminosa Primeiro Comando da Capital."

O presidente da república Michel Temer reconheceu que o Primeiro Comando é uma organização que organização que tem regras jurídicas próprias e eficazes: “Veja que eles têm até preceitos próprios e, para nossa surpresa, até quando fazem aquela pavorosa matança, o fazem baseado em códigos próprios.”

Uma prova dessa organização é o fato de não terem tido mortos entre os integrantes do Comando Vermelho CV e da Família do Norte FDN dentro dos presídios paulistas. A represália só poderia ocorrer depois da liberação passada pelo “salveiro” o que ainda não ocorreu. As duas únicas mortes ocorridas dentro do sistema paulista foram na Penitenciária de Regime Fechado de Tupi Paulista que é considerado neutro, e os mortos não pertenciam a facção e teriam rixa pessoal com seus assassinos.

Enquanto a ordem se mantém no sistema em São Paulo o governo do Amazonas confirmou que perdeu mais 41 presos, provavelmente os foragidos teriam ligação com a facção Família do Norte FDN.

O Rio de Janeiro está com 50.000 presos dividindo as 27.500 vagas do sistema, agora começa a dividir mais claramente os presos por facção. Segundo declarou um agente prisional, o CV são os mais complicados de se trabalhar: “Eles vão para o combate. As outras facções, ADA, Terceiro Comando Puro, vêm de outra origem, nunca tiveram uma política de enfrentamento com a polícia. … Os cabeças não dão trabalho, cumprem tudo direito. Eles jogam os presos na hierarquia mais baixa para te provocar, agredir, testar, ver até onde você vai.”

última publicação:

Marcola do PCC e o mito de Frankenstein

Afinal quem seria o monstro? A criatura ou seu criador? Em 15 de agosto de 2011, escrevi meu primeiro artigo sobre o Primeiro Coma...