"O futebol é o ópio do povo e o narcotráfico da mídia."(Millôr Fernandes)

PCC ataca mas o SDC RN reage.


De todas as rebeliões que ocorreram até o momento essa foi a do Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na cidade de Nísia Floresta, na região metropolitana de Natal no Rio Grande do Norte foi a mais estranha de todas.

Três facções disputam o poder no Rio Grande do Norte: Primeiro Comando da Capital PCC, Sindicato do Crime SDC, e o Primeiro Comando de Natal PCN. Os cinco pavilhões de Alcaçus estariam assim divididos:

1 - Sindicato do Crime RN - SDC
2 - Sindicato do Crime RN - SDC
3 - População - neutros - massa - sem facção
4 - Sindicato do Crime RN - SDC
5 - Primeiro Comando da Capital


Já fazia algum tempo que o Governo perdeu o controle sobre o que acontece dentro dos pavilhões, já não existem mais grade na maioria das celas e nem controle sobre os presos, apenas é feita a segurança das muralhas, o gerenciamento interno é feito pelas facções que controlam cada área.

Na tarde do sábado dia 14 de Janeiro, veículos jogaram armas por sobre os muros para os presos do Pavilhão 5. Os PCCs invadiram o Pavilhão 3. Agora os presos desses dois pavilhões invadem juntos o Pavilhão 4 onde matam mais de uma dezenas de SDCs, mas a coisa complica quando os SDCs dos Pavilhões 1 e 2 invadem também o Pavilhão 4 e começam um contra-ataque cercando os PCCs e os neutros.

A situação ficou crítica para todas as partes, pois chegaram a um equilíbrio de forças. O que se viu foi desespero por parte dos presos e seus familiares implorando para que a polícia entrasse no complexo.

Essa é a primeira vez na história, principalmente depois do Carandiru, que se vê presos chorando pedindo para que a polícia invada um complexo para acabar com uma rebelião. e as tropas nunca esperaram chegar sob aplausos dos familiares dos presos.

As primeiras notícias é que apenas SDCs teriam sido mortos e decapitados. O governo do Rio Grande do Norte alega já ter identificado os líderes do PCC local que iniciaram a rebelião e providenciado sua transferência.

última publicação:

Marcola do PCC e o mito de Frankenstein

Afinal quem seria o monstro? A criatura ou seu criador? Em 15 de agosto de 2011, escrevi meu primeiro artigo sobre o Primeiro Coma...