Pular para o conteúdo principal

A capital do PCC é o interior — a rota caipira

Estranhos caminhos, trilhas e matas

A visão que a polícia e a sociedade tem do integrante da facção Primeiro Comando da Capital foi construída pela mídia e pelo preconceito social — isso não é uma crítica, apenas uma constatação.

Não venha você reclamar comigo, procure Allan de Abreu e questione sobre o que ele publicou na obra "Cocaína. A Rota Caipira", onde desvenda de maneira sutil o esquema de tráfico da facção paulista. 

Allan não se satisfez fazendo apenas um levantamento do que acontece, ele estudou a fundo a história do narcotráfico no estado de São Paulo — surgimento, desenvolvimento, e internacionalização. 

Como ele conta, a malha se espalhou pelo interior mineiro, e hoje, sabemos pela imprensa, já movimenta milhões no Mato Grosso do Sul, Goiás e pelo interior de diversos estados dentro da rota de tráfico.

O que falei nesse site sobre cocaína → ۞



Dos países produtores ao consumidor

O pesquisador não deixou de seguir a rota, da Colômbia, Bolívia e Peru de um lado até chegar em São Paulo e no Rio de Janeiro. Foram quatro anos de entrevistas e coleta de milhares de documentos. Policiais, juízes, promotores, traficantes e produtores, ninguém ficou de fora, e todos estão em "Cocaína. A Rota Caipira".

Para que o leitor sinta o clima e perceba oque está acontecendo e como pensam todos os integrantes desse imenso mercado, Allan narra as estratégias utilizadas pelas mulas para evitarem ser capturadas pela polícia...
... e as estratégias utilizadas pela polícia para capturar as mulas.

A guerra pelo poder dentro das organizações criminosas também não ficaram de fora, assim como o trajeto que foi feito de simples gangues de rua para a construção de uma organização multinacional de tráfico de drogas e armas.


Trecho de "Cocaína. A Rota Caipira":


"Cléber tentou facilitar o acesso dos comparsas de Joseph à cela da PF, onde o italiano estava detido. Mas não conseguiu. Dias depois, George foi transferido para o CDP de Guarulhos. Aí entrou em cena outro comparsa do Sheik, Wagner Meira Alves, que se valeu de lideranças da facção PCC dentro do presídio para pressionar George: — Hoje a gente vai dar um xeque-mate — disse um dos sicários, identificado como Velho, para Wagner.
— O Dudu vai entrar na linha com os meninos e você vai tá na linha com eles e que tiver na situação lá vai estar junto dele. Isso vai ser esclarecido hoje, vamos dá um prazo para o italiano, que o irmão lá e da geral, vamos dar vinte dias de prazo para ele. Se quiser, em último caso, é aquilo que o Cabeção falou [matar o George], não tem problema. É para tentar receber e em último caso é aquilo lá. — O interesse é receber — disse Wagner.
— Se receber, 30% é de vocês, pode falar lá e sacramentar. [...] Ele sabe que deve e pode se esquivar, mas, se ele quiser devolver, em imóvel ou espécie, a gente vai até lá, pega o que tem e tira a parte do PCC na hora. Minutos depois, os 'irmãos' do PCC colocaram George na linha para falar com Wagner..."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como se faz para entrar como membro do PCC.

Eu não concordei com o velho François-Marie Arouet ao dizer que se olharmos com os dois olhos, enxergaremos melhor: com um olho veríamos as coisas boas, com o outro as coisas ruins. Por isso, segundo ele, seria importante evitar fechar um para abrir bem o outro. Meu velho François, leia com seus dois olhos bem abertos como se pode ingressar no Primeiro Comando e me diga: onde está o lado bom? Eu só conseguir ver o lado negro, mesmo sem ser caolho, por isso vou lhe contar o caso do irmão Cara de Bola. Ele, que era torre do PCC e responsável pela distribuição das drogas na cidade de Indaiatuba , explicou com detalhes como se ingressa na facção, pois caiu em uma escuta ao ligar para o irmão Boquinha . Foi assim que ficamos sabendo de tudo: Nepotismo O irmão X tornou-se membro da facção por ser irmão de sangue do Tio , ou irmão M , um general na hierarquia do Primeiro Comando da Capital forte em em Indaiatuba, na época. Essa é uma das formas de ingresso: sendo parente de outros

Como se faz para sair do PCC?

Se tá de sacanagem né, você acha que o Primeiro Comando da Capital é putaria? Entra quando quer, sai a hora que quer, de boa? Não é bem assim não, se virou crente e quer tirar a camisa, ou tem alguma coisa com tua família... Vou falar pra você, essas são as perguntas que mais aparecem por aqui, e eu falo para procurar o sintonia e trocar ideia, é assim que se faz. Mas por que não escrevi sobre isso antes? Por que eu fico na minha, só que agora fui cobrado, alguém leu no site do Terra que é putaria e acharam que fui eu: Quando sair, tem que rasgar a camisa e ficar de boa", diz um homem por telefone, após ser retrucado por uma mulher investigada: "Não tem que rasgar a camisa, não; tem que arrancar a cabeça dele" PCC decide permitir que integrantes deixem facção Meu, quem falou essa idiotice foi o site Terra que começa mais ou menos assim: "Pela primeira vez desde que surgiu nas prisões paulistas, no início da década de 1990, a organização criminosa Primeir

Quem são e o que fazem os disciplinas do PCC 1533?

Houve um tempo em que eu acreditava em um mundo ideal, onde a polícia defenderia as pessoas com justiça, mas esse tempo acabou. A pesquisadora Deborah Rio Fromm Tinta  também não acredita que a força policial deva impor pela força sua autoridade… "Logo me dei conta que uma rodinha de disciplinas estava por ali também. Fiquei mais tranquila.  ...  Vários pontos de conflito que emergiram foram apaziguados graças à mediação dos disciplinas." O humorista Márcio Américo, que certa época da vida foi um assíduo frequentador do local concorda: "A polícia e a prefeitura apenas fingem ter controle do local, completamente dominado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), por “propaganda superficial” Deborah Rio, durante o trabalho de campo que fez em 2015 bem na conturbada Cracolândia ela acompanhou de perto a ação dos “disciplinas” do Primeiro Comando da Capital (PCC 1533) que negociaram com traficantes, usuários de drogas, jornalistas, policiais, e autoridades públicas.