Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2021

Facção PCC mata em Araguaína no Tocantins

Não se tem notícias de que Gutierrez tinha ligação com o crime. O que se sabe é que ele estava vendendo frutas na barraca do pai no setor Céu Azul em Araguaína no Tocantins quando dois caras em uma moto preta parou ao seu lado e o matou a tiros enquanto um gritava: Aqui é o PCC! Aqui é o 3! fonte: Márcia Costa para o AF Notícias 

PCC coloca fogo nos barracos e queima provas

Enquanto a polícia civil do Mato Grosso do Sul fazia bonito mostrando para a imprensa que estava usando um condutivímetro, um equipamentos que detecta a variação magnética em até dois metros de profundidade no solo, os crias do 15 foram até o cemitério clandestino e colocaram fogo em cinco barracos de madeira que teriam sido usadas para mocosar e torturar antes de matar as vítimas do Tribunal do Crime . — fonte: Danielle Errobidarte para o MidiaMax É claro que essas casas já tinham sido periciadas pela polícia... ou será que não? Cemitério clandestino atribuído ao Primeiro Comando da Capital foi encontrado na Vila Santo Eugênio em Campo Grande no Mato Grosso do Sul. Talvez seja um exagero das autoridades, afinal só foi encontrado um corpo com resquícios de peças de roupas, mas os cães farejadores procuram outras ossadas. — Danielle Errobidarte para o MidiaMax Havia um afundamento no crânio e também foram recolhidos ossos dos braços, caixa torácica e pernas. Outros ossos foram enc

Líder do grupo criminoso gaúcho Anti Bala é preso no Paraguai

Tem estados que são zica. Rio de Janeiro talvez seja o pior, mas o Rio Grande do Sul também não é para amadores. O Primeiro Comando da Capital preferiu entrar no sapatinho no estado depois que viu muitos dos seus integrantes morrem por lá. Hoje a estratégia principal da facção paulista é fazer coligações com os criminosos locais — o grupo Anti Bala é uma dessas parcerias . Nego Léo , como é conhecido Leonardo de Souza, foi preso em Pedro Juan Caballero de onde comandava as ações da facção gaúcha em nome do líder do grupo, Nego Jackson , que já estava preso juntamente com toda a cúpula do grupo. Só Nego Léo não tinha perdido a liberdade... agora nem ele. — fonte: UOL Notícias

Crias do 15 entram em extinção na Amazônia

Os crias do 15 no Norte do país pedem fortalecimento Há anos os soldados do PCC na região Norte do Brasil não recebem atenção do Primeiro Comando da Capital , ficando cada um por si e só com Deus na sua proteção de todos. No começo foram integrantes das cidades do interior que reclamavam do abandono: ninguém para passar a visão , ninguém para ajudar no fortalecimento, enfim, ninguém para nada. Hoje no Acre , os fiéis a camisa do 15  estão: presos, mortos, mocozados , se convertendo para a igreja ou fugindo do estado. Nunca teve tanto “safado que se esconde atrás da Bíblia” para passar despercebido pela tormenta para voltar ao mundo do crime  quando o tempo amainar. Há algumas semanas, o último PCC de uma cidade do Amazonas, para não morrer, seguiu para Manaus para encontrar fortalecimento para retomar a cidade perdida para o Comando Vermelho . ( entenda melhor o tabuleiro manaura ) Fui com ele, e que encontramos não foi melhor do que deixou para trás. O Primeiro Comando da Capital

Comando Vermelho emite salve de trégua ao Bonde dos 13

 🏳️🚩 COMANDO VERMELHO 🚩🏳️ Um Forte abraço a todos os irmãos e companheiros de luta. Estamos juntos!  🏳️♦️ TRÉGUA AO B-13♦️🏳️ Primeiramente, este informativo vem esclarecer aos nossos membros e toda a população acreana que em momento algum nossa organização quis a guerra em nosso estado. Muito pelo contrário, sempre tivemos em busca do diálogo, não por sermos incapazes de enfrentar os nossos inimigos, não fugimos da guerra mas sempre defendemos os nossos irmãos a qualquer custo.  Após o B13 nos procurarem para o diálogo e resolverem se afastar do PCC decidimos não atacar mais os membros e comunidades  do B13, eles não deixaram de ser nossos inimigos❗ Jamais vamos esquecer os nossos queridos irmãos que   perderam suas vidas representando a nossa organização, e não foi em vão, tanto é que hoje dominamos mais de 90% do    território de nosso estado do Acre. Não esqueceremos dos nossos irmãos que perderam a liberdade e estão no sistema penitenciário vivendo dias de opressão. E não pod

Os Justiceiros de Fronteira e o PCC para italianos entenderem

Em seu blog latinamericando.info , Francesco Guerra analisa as causas da onda de violência que está varrendo a área de fronteira entre Brasil e Paraguai das cidades de Ponta Porã , no Mato Grosso do Sul , e de cidade de Pedro Juan Caballero , no departamento de Amambaí . As vítimas são todas muito jovens com menos de 25 anos, algumas sem ficha criminal, e todas tendo sido mortas a sangue frio, e em pelo menos dois casos tendo sido torturadas sadicamente, depois mutiladas e finalmente mortas. Outra coisa comum nessas mortes são bilhetes deixados, ora em português, ora em espanhol, direcionados a outros alvos possíveis, explicando, em parte, os motivos dos assassinatos. Seria uma  guerra entre facções ou, como parece mais provável, o trabalho de um novo esquadrão da morte. O artigo escrito em italiano descreve a ação dos Justiceiros da Fronteira e demonstra a falta de consistência das acusações que o Primeiro Comando da Capital estaria envolvido com os assassinatos cometidos por eles.

Polícia Civil tenta conter guerra entre facções prendendo um dos lados

O delegado geral Luccy Keiko do  Piauí descobriu o que ninguém sabia: a maioria dos que estão morrendo por morte violenta na guerra entre as facções criminosas estado são... criminosos envolvidos em facções criminosas. Para evitar que fossem mortas, resolveu colocá-las atrás das grades e deflagrou a Operação Contraordem III , afinal, se os criminosos ligados as facções estão sendo mortos nas ruas, talvez a melhor forma de protegê-los é colocando-as atrás dos muros dos presídios — deve ter sido esta a conclusão do delegado. Foram emitidos pela Justiça vinte e quatro mandados de prisão no Piauí e no Mato Grosso do Sul contra integrantes da facção PCC , sendo que sete já estavam presos, restando capturar catorze. Após fazerem buscas em Teresina, Floriano, Castelo do Piauí e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e não localizarem os integrantes do PCC, a polícia publica o nome e as fotos dos sete procurados: Kelson Ferreira de Freitas, Gabriel Mateus das Neves Pereira, Davi de Sousa, Lindo

Acusado de ter participado do Tribunal do Júri perde no tapetão

O tiro foi disparado em 8 de abril de 2018 por ordem do disciplina do Primeiro Comando da Capital em Capão Bonito em São Paulo, atingiu as costas de Adriano, que o deixou hospitalizado por 307 dias até sua morte por pneumonia. Alan era um dos cinco rapazes que atacaram Adriano e agora foi julgado pelo Tribunal do Júri, só que… Um dos seus colegas, sendo menor de idade, não foi a julgamento e os outros três, maiores de idade, foram condenados a penas que variaram de 12 a 15 anos de prisão, só que no caso de Alan a coisa ficou meio indefinida. A defesa alegou em sua defesa que de fato Adriano não morreu do tiro, mas pela fragilidade de sua saúde acabou falecendo de uma doença, que o reconhecimento feito do réu foi através de uma fotografia mostrada ao Alan em um celular enquanto ele estava hospitalizado e medicado sem, talvez, domínio completo de suas capacidades, também provou que ele sequer conhecia a vítima e que só estava naquele local por pura e infeliz coincidência. Todos esses ar

Condenados PCCs do Tribunal do Crime de Araguaína

Essa história aconteceu em 2019. Quatro homens seguiram em um carro roubado em uma missão: encontrar e matar Elias no setor Costa Esmeralda em Araguaína no Tocantins . Elias era do Comando Vermelho e o Primeiro Comando da Capital estava limpando os vermelhos do território, e foi pego de surpresa andando por uma rua. Disparos são dados. Elias corre e mesmo baleado se abriga em uma casa. Amaurir, João Vítor, Ricardo e Lucas não vão atrás para conferir, aceleram deixando o bairro, mas por azar, quando caem na pista trombam com uma patrulha da Força Tática. Perseguição. Perdem a direção e batem na parede de uma igreja. João Vítor não consegue fugir e é preso na hora, os outros caem depois na investigação, e nessa segunda-feira foram todos condenados com penas entre 15 e 17 anos de prisão. Elias, o CV, sobreviveu ao ataque. — fonte: AF Notícias

O esquema dos PCCs do Morro do Algodão em Caraguatatuba

Foi negado o habeas corpus para José Francisco. Nada que o advogado alegou foi aceito pelo Tribunal de Justiça e uma a uma as teses foram caindo. Para quem não se lembra do caso, José Francisco caiu com outros sete acusados de pertencer a uma célula do Primeiro Comando da Capital que atuava no Morro do Algodão em Caraguatatuba no litoral de São Paulo. Até outubro de 2019, quando o esquema foi descoberto, ele e os demais, todos moradores do morro ou próximos a ele, foram presos com 43 quilos de maconha, 800 gramas de cocaína e 700 de crack, que estavam uma bela residência na rua São Miguel que era usada como " padaria" e depósito. A venda das drogas ficava por conta dos moleques que ficavam pelas ruas do “ Brejinho ” próximo a EMEI, entre as ruas um e dez, e na rua São Marcos — segundo os moradores do bairro, o grupo afirmava que eles eram da facção PCC e se alguém denunciasse morreria. O Bar do Leão na rua três era o ponto de encontro para relaxar, conversar e passar as m

Haveria ligação entre os Justiceiros da Fronteira e a facção PCC?

Esquadrão de justiça deixa mensagem violenta na fronteira Brasil-Paraguai Alessandro Ford para o InSight Crime Um misterioso esquadrão de vigilantes operando na fronteira entre Brasil e Paraguai está matando suspeitos de ladrões e deixando bilhetes ao lado de seus corpos mutilados, uma mensagem macabra mesmo em uma região atolada na violência das drogas. Na noite de 1º de agosto, dois irmãos brasileiros foram mortos a tiros na fronteira entre o município brasileiro de Ponta Porã , no estado de Mato Grosso do Sul , e a cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero , no departamento de Amambay , conforme noticiado pelo G1 Globo . Segundo a mídia brasileira, esta é a sexta execução na área em menos de uma semana. E como nos assassinatos anteriores, no local dos fatos deixaram 30 balas usadas e uma nota assinada pelos “Justicieros de la Frontera” (Justiceiros da Fronteira) , que diz que “não se aceitarão mais roubos na região” . VEJA TAMBÉM: As Dinâmicas Criminais Voláteis nas Fronteiras do

Preso o líder da facção que comandou a Chacina do Boqueirão

Agora se sabe, a chacina do Boqueirão das Araras em Caucaia no Ceará no qual cinco homens foram mortos e duas mulheres ficaram feridas foi um ataque tomar o controle de pontos de drogas. Domingos Costa Miranda, líder de uma facção, teria planejou e executou o ataque com outros cinco criminosos para assumir o controle do grupo criminoso após a prisão do antigo líder, dos quais os mortos seriam seus aliados fiéis. Após a prisão, Miranda afirmou que os mortos seriam, na verdade, ex-integrantes da facção que ele lidera e mudaram de camisa, passando a ameaçar a vida de seus crias. Miranda já estava sendo investigado por estar disputando as biqueiras de São Miguel I, São Miguel II e Beco do Fumaça, na periferia de Caucaia. — fonte: Luciano Cesário para O Povo

PCC Geral do País no Uruguai seria Zorro que já está preso

A polícia até que desconfiava que Zorro ou  Tuerto , como é conhecido Diogo de la Vega era integrante de um grupo criminoso, mas a forma como ela descobriu que ele, não só era integrante mas no Uruguai era o  "Geral do País" da organização criminosa Primeiro Comando da Capital , chegou por uma cena de violência familiar. Zorro , queira que seu filho aproveitasse a oportunidade do tráfico na fronteira: "Rivera é uma terra fértil ou uma mina de ouro" já que a cidade fica na divisa de Santana do Livramento no Rio Grande do Sul . O vídeo do espancamento do filho de Zorro por ordem dele foi encontrado no celular de uma mulher apreendido durante a Operação Génere da Brigada Antidrogas da Raviera e abriu um novo leque de investigações. Graças ao vídeo, Zorro teve 18 meses acrescidos a pena que já estava cumprindo por ter confirmada sua vinculação ao grupo criminoso.— fonte: Guillermo Lorenzo para o El País

Os Piratas da Fronteira do Primeiro Comando da Capital continuam ativos

Os PCCs denominados " Piratas da Fronteira" usam uniforme. É. Uniforme da Polícia Federal. O líder é um cabra conhecido como Peu e ataca contrabandistas, traficantes e compristas em um esquema bem organizado — quando param um veículo já sabem de quem é o que tem. A polícia acreditou ter desmontado a quadrilha quando prendeu seu principal receptador que distribuía o butim no Paraná e São Paulo, mas não. Os criminosos que pertencem ao Primeiro Comando da Capital atacam até criminosos que não são ligados ao seu núcleo e continuam atuando firmes e fortes próximo a fronteira no Mato Grosso do Sul .

Cantar o Hino do PCC não pode na prisão, diz TJ-SP

Tribunal de Justiça de São Paulo nega que presos tenham o direito de cantarem o Hino do Primeiro Comando da Capital  e, aqueles que o fazem, podem ser punidos com a perda de 1/3 dos dias remidos até a data da infração. Wandeson e outros presos, durante o procedimento de entrada de visitantes entoaram o hino da facção PCC 1533 . A direção deu ordens para que os funcionários retirassem os internos do pátio e os recolhessem no Regime Diferenciado de Cela RDC, mas ele e os colegas se resistiram: Daqui ninguém nos tira, aqui é o Primeiro Comando da Capital , se mexer com nós, vamos matar esses vermes, PCC 1533, esse é nosso grito de guerra. O TJ-SP considerou que ao cantar o hino os presos exaltavam a facção criminosa, fazendo "apologia ao crime, divinizando seus membros e mandamentos e, com isso, a fortalecendo, em atitude deveras perniciosa à sociedade" . — fonte: TJ-SP

Moçambique continua como entreposto de distribuição da facção PCC

A organização criminosa  Primeiro Comando da Capital continua utilizando Moçambique como entreposto para distribuição de seus produtos para quatro continentes: América do Norte, Europa, Oceania e a própria África . Segundo Nicholas Norbrook editor chefe do Africa Report ,  a corrupção no governo de Felipe Nyusi impede o combate aos grupos criminosos com influência em sua administração. A prisão de Fuminho por ação do DEA americano não desmontou o esquema da facção PCC no país — em janeiro de 2021, cinco homens foram presos quando cobravam o pagamento de drogas vindas do Brasil e revendidas na África do Sul no valor de quase 300 mil Dólares.

Polícia e PCC, personagens de uma mesma tragédia: as chacinas

Pessoas morrendo à rodo. Chacinas acontecem sobre nosso olhar bovino enquanto continuamos mastigando calmamente nosso pasto. Qual a razão da nossa indiferença? Qual a razão da existência desse fenômeno em nosso país? O sociólogo Eduardo Armando Medina Dyna tenta responder essas questões em um artigo no site observatório de segurança, no qual, além de analisar seus motivos, efeitos e relações, busca olhar o impacto que o emprego da chacina como método tem sobre a Segurança Pública no Brasil. A chacina como método de controle O pesquisador lembra vários eventos, entre eles três envolvendo a organização criminosa Primeiro Comando da Capital : 2002 - Chacina da Castelinho A operação Castelinho em 2002 foi outro exemplo da letalidade da PM que proporcionou mais uma chacina em São Paulo. Em uma emboscada, policiais civis deixaram veículos no meio da rodovia estadual e cercaram 12 homens suspeitos de serem da facção paulista Primeiro Comando da Capital (PCC), que estavam viajando em veículo

Acusados de tráfico nada declaram ao MP do Paraguai

Levi Adriani e Candonga , como é conhecido Marcio Gayoso, tinham seu negócio de venda de drogas em Pedro Juan Caballero , e atendendo tanto o Primeiro Comando da Capital quanto o Comando Vermelho. Segundo o Ministério Público do Paraguai , Levi comandava e Candonga  providenciava para que suas ordens fossem cumpridas desde as plantações até os postos de distribuição. Na audiência no MP ambos entraram quietos e saíram calados. — fonte: MP-PY

Policiais de São Paulo caçam PCC na Bahia e o matam

Integrante do Primeiro Comando da Capital da região de Sorocaba no interior de São Paulo foi morto em confronto com a polícia no povoado do Trapuca, no município de Tucano na Bahia quando resistiu a abordagem policial. Policiais do DEIC paulista estavam no seu encalço e contaram com o apoio das polícias locais para a abordagem. Na Ranger XLT foram localizados  uma pistola com carregador e 10 munições de calibres 9mm, sendo 6 intactas e 4 deflagradas; um “tijolo” de maconha; um saco preto contendo com maconha; e cem envelopes com a figura do “pica-pau” desenhados, contendo cocaína. Segundo a equipe paulista, além de drogas, o homem era um dos líderes da facção estava indo para a Bahia para coordenar um ataque a caixa eletrônicos. — Polícia é Viola para o Folha do Estado

Comunicado do PCC para os cidadãos e para o GDE de São Benedito

"Comunicado" que corre nas redes sociais da cidade de São Benedito no Ceará atribuída ao sintonia do PCC na cidade

A violência do Estado e a violência da facção PCC nas periferias

Os grupos social e economicamente vulneráveis costumam conviver com a instabilidade e a expectativa de que, a qualquer momento, um tiroteio ou uma abordagem policial violenta pode romper sua suposta tranquilidade, ceifando suas vidas. Por isso, termos como “terrorismo de Estado” , “violência de Estado” , “brutalidade de Estado” , “genocídio” e “violência política” foram mobilizados pelos nossos informantes para caracterizar as violações cometidas reiteradamente por atores públicos contra pessoas empobrecidas. Nesta mesma lógica, ganhou destaque nas narrativas dos/as entrevistados/as a ação de grupos criminais em espaços de periferia. No caso paulista, por exemplo, se sobressaiu a ação da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) nas áreas de periferia. O grupo impõe um conjunto de valores e regras de ordem moral às populações marginais. E esse código de comportamentos se relaciona aos debates, conhecidos pela imprensa como “tribunais do crime” , cujo objetivo final é