Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2021

O Geral do Progresso do PCC e o Misterioso Assassinato

Em 2015, Diego Marcelo Juiz era o “geral do progresso” do Primeiro Comando da Capital e atuava na região da fronteira com o Paraguai . Por alguma razão, contratou Daniel Duarte Medina para atravessar uma carga de maconha do Paraguai para o Brasil, e contratou Américo Ramires Chaves para executar Daniel. Daniel acabou sendo morto com 13 tiros de 9mm, e a morte também chegou para Américo, aí só sobrou Diego que nega tudo. Talvez nunca saibamos a razão desse assassinato que começou em Ponta Porã e acabou em Pedro Juan Caballero . Hoje Diego que veste outra camisa e corre pelo Comando Vermelho foi finalmente condenado pela morte de Daniel a anos de prisão.

Integrante do Comando Vermelho foge a nado de PCCs

O integrante do Comando Vermelho de Boa Vista em Roraima foi convidado para ir a casa de uma garota, mas ao chegar ele foi rendido por quatro homens e duas mulheres com ligações com o Primeiro Comando da Capital . Arrastaram para dentro da casa e fizeram um Tribunal do Crime , onde o disciplina condenou o CV a morte. Levaram-no até um lago na região do Anel Viário, nas proximidades do rio Cauamé. Zoavam o CV antes de matar, ameaçando-o com faca e machado, mas o cara foi ligeiro e conseguiu tirar as amarras, correu para a água, mergulhou, nadou para o outro lado e correu, correu, e só parou na base da polícia. Os PCCs em vez de sumirem, já que a presa escapou, voltaram para a casa onde renderam o CV. Não prestou. A PM chegou e arrastou os seis para a tranca. — Portal Roraima 1

Junho de prejuízos para a facção PCC em Limeira

O integrante do Primeiro Comando da Capital preso dessa vez, preparava e vendia no varejo drogas no Jardim Anhanguera em Limeira e seu enteado de 15 anos era o responsável pelo comércio no bairro Novo Horizonte. — Fernando Covre para rapidonoar Dois dias antes, outro integrante da facção caiu em uma abordagem no bairro Ernesto Kuhl, foi encontrado 120 gramas de cocaína, 196 gramas de maconha e 135 ml de lança-perfume, de posse de um rapaz que alegou que precisava vender aquele produto para pagar a mensalidade da organização criminosa. —  Fernando Covre para o rapidonoar No início desse mês, a Operação Sintonia derrubou na cidade o Corintiano, integrante da facção que seria o responsável pela movimentação do dinheiro e abastecimento de outras biqueiras da região: Cordeirópolis, Charqueada, Araras , Santa Gertrudes e Rio Claro . — Denis Martins para o Diário da Justiça

Integrantes do Comando Vermelho matadores de PCCs

Há uma semana mataram o PCC Chakau e ontem mataram o PCC Mateus em Manaus no Amazonas , e as câmeras de segurança flagraram o momento que fugiam após o segundo crime. O crime aconteceu no bairro Monte Sião, na Zona Leste e faz parte da guerra travada entre o Primeiro Comando da Capital , aliado do Cartel do Norte (CDN) e Guardiões do Estado (GDE), contra o Comando Vermelho (CV). — Júnior Ferreira para o UnoMidias Na Zona Leste, o Comando Vermelho domina e o Cartel do Norte está com dificuldade de manter os focos de resistência nos bairros de: Mozinha, Gilberto Mestrinho, São José e Tancredo Neves. Algumas áreas da Zona Leste estão na estratégica posição de permitir um ataque rápido à região central e seus becos e vielas dificultam a a ação da polícia e dos inimigos, além de facilitar tanto emboscadas quanto fugas. — Ayrton Senna Gazel para o emtempo Já na Zona Sul, o Cartel do Norte controla com pouca resistência do Comando Vermelho em partes do: Alvorada, Morro da Liberdade

O PCC engasgou tomando café ou teve que tomar gatorade?

A Penitenciária de Segurança Máxima de Presidente Venceslau é para onde são mandados os líderes do Primeiro Comando da Capital, e é lá que estava Albiazer Maciel de Lima, conhecido como “rei do roubo de cargas”. Os presos afirmam que ele engasgou com o café, mas não existem muitas dúvidas que ele tomou mesmo foi “gatorade” — uma mistura de cocaína, vinagre e água que serve para matar sem sinais de violência. Albiazel só se envolvia em crimes milionários e sua morte interessava a muita gente dentro das prisões mas também entre empresários e políticos que podem ter se envolvido em seus negócios. — Josmar Jozino para o UOL

Integrante do PCC é morto no Mato Grosso por CVs

Vindo do Espírito Santo , Maurício Ferreira Lucas mal se ajeitou em Lucas do Rio Verde no Mato Grosso , e os integrantes do Comando Vermelho da cidade descobriram que era integrante do Primeiro Comando da Capital . Ele foi pego em um bar lotado no Parque das Américas, foi morto e seu corpo jogado em um buraco. A investigação da polícia foi rápida e arrastou para a delegacia, onde oito acabaram presas pelo homicídio.

Integrantes do PCC sequestram esposa de CV

O CV Júlio Grampão de Arapiraca no Alagoas está preso. Integrantes do Primeiro Comando da Capital queriam saber de onde vinha a droga que ele estava vendendo. Duas companheiras PCC levaram Cida, a mulher dele, para uma mata no Vale do Perucaba e arrebentaram ela por dois dias, depois levaram para uma casa no Cacimbas. Ela mesmo relata: Cida relatou à Polícia que na terça-feira (15), estava em sua residência na companhia de seu filho, e por volta das 22h30, foi abordada pelos dois envolvidos, acompanhados por outros indivíduos identificados como “Toquinho”, “DJ”, “Luxura”, “Neguinho” e “Bagaceira”, e foi levada para a Matinha da Catita…  Alguém ficou sabendo e avisou a polícia que a resgatou e prendeu dois que estavam na contenção: Carlos Eduardo Silva e Jussara Matias Silva. — leia a reportagem completa na TVOOPS

Cai um dos centros de distribuição do PCC em Dourados

Aquele momento em que o moleque faz o que não deve. Casa boa, local tranquilo, ninguém tinha desconfiado daquela residência no Jardim Esplanada em Dourados no Mato Grosso do Sul . Passa uma viatura da Guarda Civil Municipal e vê um moleque correndo e pulando para dentro. O moleque vazou pelos fundos, mas o prejuízo ficou… Perderam 300 quilos e tudo mais para a pesagem e distribuição, e se a casa for considerada pela Justiça como entreposto do Primeiro Comando da Capital , até ela e seus proprietários vão rodar. — Hélio Freitas para o Campo Grande News

Porque o Primeiro Comando da Capital cresceu tanto?

A facção PCC chegou mostrando força na década de 1990 defendendo uma ideologia de luta contra a opressão do Estado, com uma bandeira, com um estatuto que oferece proteção aos presos e a suas famílias, que avançou onde o Estado falhou, isso é um fato, mas logo começaram a aparecer os primeiros presos degolados, sem língua, sem coração — ninguém me contou, vi com meus próprios olhos. Falo com muita intimidade sobre crime organizado porque vi o PCC nascer dentro dos presídios de São Paulo. O Marcola era homicida, sequestrador, roubava banco, não tinha nada a ver com a facção, mas é um homem articulado. E quando ele foi levado para o presídio de Tremembé  começa a conversar com os últimos presos políticos no sistema prisional e aprende com eles sobre como estruturar o tráfico, a gerenciar como uma empresa, ao mesmo tempo em que vende internamente para os detentos a ideia de uma irmandade revolucionária. Hoje, após invadir o Paraguai , o PCC virou uma organização transnacional que vende

PCCs condenados por ostentar queimando dinheiro

Podiam estar matando, podiam estar roubando, mas não, eles estavam queimando notas de 100 Reais e postando nas redes sociais para ostentar poder e chamar a atenção. Chamaram. A Operação Pindorama foi montada para descobrir quem eram aqueles integrantes do Primeiro Comando da Capital de Campo Grande no Mato Grosso do Sul que estavam desafiando a polícia dessa forma. Em maio de 2020 a polícia saiu as ruas pendendo 13 PCCs e apreenderam 578,41 Kg de maconha, 5,27 Kg de cocaína e 5,59 Kg de pasta base de cocaína, além de cem mil reais em dinheiro. Agora saiu a condenação na justiça dos envolvidos, e as a penas foram de 4 até 23 anos de prisão no fechado. — MP-MS

O dinheiro do CV e os planos do PCC para o Amazonas

A Operação Rio Amazonas buscou desbaratar o esquema de lavagem de dinheiro do Comando Vermelho CV no Rio de Janeiro através da sua célula do Amazonas . Não dava para entender a dificuldade do Primeiro Comando da Capital em dominar Manaus e a Rota do Solimões depois que a Família do Norte FDN ruiu. De onde vinha a força do Comando Vermelho que só estava conseguindo vitórias, se está enfrentando tanta dificuldade nas comunidades cariocas com o apoio do governo Bolsonaro às milícias ? Talvez, a Operação Rio Amazonas, talvez seja um indício que o CV estava primeiro mandando a grama para depois mudar sua base central para o Norte — o CV já teria investido 126 milhões de Reais na região.   Também chamou a atenção que a equipe que fazia a lavagem do dinheiro do CV era a mesma que lavava para o PCC. — Bruna Fantti para o Último Segundo

Integrante do PCC é morto em Colombo no Paraná

A inteligência da PM estava acompanhando um membro do Primeiro Comando da Capital. Já próximo a sua casa, na zona rural de Colombo, na grande Curitiba, foi alcançado pela viatura do BOPE e que partiram para a abordagem. O integrante do PCC, trocando tiros, correu para o matagal, mas levou a pior. — Daniela Borsuk para o ricmais

Operação Coalizão do Bem e o resgate de Marcola

O governador de São Paulo, João Dória , deve muito ao presidente Bolsonaro . Já se passaram dois anos e quatro meses da transferência de Marcola e de outros líderes do Primeiro Comando da Capital para os presídios federais , tirando o risco de desgaste e um ataque do PCC no estado e o custo da manutenção desses presos. Bolsonaro conseguiu holofote na mídia na hora da transferência, mas sem resultado esperado — a facção continua tão atuante quanto antes devido a sua organização celular. Além custo da manutenção em presídios federais, o governo central tem que manter efetivos militares de “Garantia da Lei e da Ordem” para reforçar a segurança e mesmo assim corre riscos. A prisão em Brasília de Lucirne Silva Conceição é prova disso. Ele, que é um dos responsáveis pela chacina dos CVs no Amazonas, estaria planejando o resgate das lideranças do PCC, mas acabou sendo preso durante a Operação Coalizão do Bem . — Mirelle Pinheiro para o Metrópoles

Facção PCC enviava drogas de Ribeirão Preto para a Bahia

Nuvens escuras pairam sobre o Primeiro Comando da Capital em Ribeirão Preto onde o Comando Vermelho implantou uma célula que está levando a morte para suas quebradas. Nessa semana, dois ataques mataram dois PCCs, um na zona Norte no bairro Orestes Lopes e outro na zona Oeste no Jardim Progresso. Até agora já morreram 14 integrantes das duas facções, segundo o Portal Thathi . A polícia ainda não esclareceu as mortes, no entanto deu mais um golpe no PCC ribeirão-pretano com a Operação Rumo que desbaratou o esquema que enviava para a Chapada Diamantina na Bahia parte da droga recebida na cidade. — ACidadeON

Policias Civis extorquindo integrantes da facção PCC

Todos se lembram dos ataques do Primeiro Comando da Capital em maio de 2006 , mas poucos se lembram do estopim que detonou aquela ação que deixou algo em torno de 600 mortos e paralisou o maior estado da nação. O Policial Civil Augusto Peña e seus comparsas da delegacia sequestraram e usaram a prisão da delegacia para guardar Rodrigo Olivatto de Morais , o sobrinho de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola do PCC. Peña mudou a história de nosso país, o Primeiro Comando da Capital e o Brasil não seriam o que são hoje se não fosse aquele sequestro. Essa prática, no entanto, persiste até hoje. Quem é do mundo do crime já sentiu na pele ou ouviu histórias de pessoas próximas que foram extorquidas, sequestradas ou mortas de maneira covarde por criminosos com distintivos. A prisão dos policiais civis que usaram como mocó para uma vítima de sequestro a sede do DEIC no Carandiru, apenas expõe para o público o que acontece todos os dias em quase todas as quebradas do estado. Com os p

Carta de uma mãe ex-PCCeia

Quando fui batizada… eu não tenho que esconder quem eu sou, independente de que tá ou quem não tá me lendo, sei que corro risco né? Só de tá contando isso para você e não saber da onde tu vem, mas em cima de minha pureza aí, em cima de um item aí, é que resolvi soltar a voz para você. Tô com meu filho de 15 anos que tá se envolvendo aí com o mundo do crime, aonde eu parei ele aí várias vezes para não se envolver como nós. Eu já fui dona de biqueira, do crime, e nós conhece aí a ideologia — eu fui onze anos PCCeia . Hoje trabalho em casa de uma família, mas tô vendo um filho meu aí se ingressar. Esse filho se encontra aí me desrespeitando, enfrentando, falando palavras para mim que magoam, que não é compatível aí ao nosso crime das antigas. Porque nós é o certo, o justo e o correto . Eu sou, tenho quase 50 anos e não estou aqui para pagar simpatia para ninguém, mas sim, para passar o que é o certo e não é por que é meu filho que tenho que passar a mão na cabeça. Tá me dando o mai

Graham Denyer Willis e a facção PCC 1533

Já citei outras vezes aqui esse trabalho de Graham Denyer Willis , mas com o lançamento de uma nova edição, vale trazer novamente aqui uma sinopse do The Killing Consensus: Police, Organized Crime, and the Regulation of Life and Death in Urban Brazil . A lógica paralela de assassinatos da a polícia e do crime organizado A maioria de nós traz de nossa formação cultural que é direito do Estado matar, quando necessário, através da ação das forças policiais no cumprimento da manutenção da segurança pública, mas Graham Denyer Willis explica que no Brasil, os assassinatos e a arbitragem da ordem social muitas vezes é conduzida por dois grupos: pela polícia e pelo crime organizado. Com base em três anos de trabalho de campo etnográfico, o livro de Willis traça como os investigadores policiais categorizam dois tipos de homicídio: o primeiro resultante da resistência à prisão policial e a segunda nas mãos da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) : A morte nas mãos da políci

O caso do massacre da Castelinho vai para a CIDH

Em 5 de março de 2002, doze integrantes da organização criminosa Primeiro Comando da Capital foram mortos em um ônibus na Castelinho em situação similar, e ainda mais emblemático, os 111 prisioneiros chacinados durante a rebelião de 1992 no Presídio do Carandiru . Os policiais militares ultrapassaram o limite socialmente aceito, mas, mesmo assim, não deu em nada e todos acabaram absolvidos pela Justiça em novembro de 2014. Porém, para o Ministério Público Estadual, a Operação Castelinho foi uma “farsa macabra” e “a maior farsa da história policial no Brasil”. “Os caras da PM, que disseram que trocaram tiros, são tudo pau mandado, trocaram as mães deles!” — interceptação telefônica Os corpos foram movidos e as armas sumiram do Fórum da Comarca de Itu para que não fosse possível fazer a perícia, e acertos foram feitos para que as farsa fosse encoberta, mas agora, um passo tímido foi dado para o esclarecimento, com a apresentação do caso Castelinho a Comissão Interamericana de Direi
O número 1533 ou 15.3.3 utilizado para designar o Primeiro Comando da Capital se refere colocação das letras no alfabeto: 15 – P de Primeiro 3 – C de Comando 3 – C de Capital O P , que é a letra de 16ª posição no alfabeto pelo novo acordo ortográfico da língua portuguesa de 1990 que incluiu oficialmente o K entre o J e o L . Pode-se argumentar que é o acordo ortográfico vigorou a partir de 2008, mas, a razão de ser 15 é mais simples: Na tranca ninguém deu a mínima bola para esse detalhe. Alguém cantou o abecedário de cabeça e contou nos dedos, deu 15 e “já era”. Tanto no Estatuto do PCC de 1987 quanto na versão de 2007 não consta os números 1533 , no entanto na Cartilha de Conscientização da Família de 2007 consta: Essa é a evolução para uma geração consciente, aperfeiçoando nossas deficiências, suprindo a carência do conhecimento, nos apoiando maciçamente na família 15.3.3 e na nossa família de sangue. Assim superamos nossas dificuldades e conquistamos o que é nosso

O Primeiro Grupo Catarinense (PGC)

O Comando Vermelho do Rio de Janeiro ( CV ), no intuito de lucrar e enfraquecer o Primeiro Comando da Capital de São Paulo ( PCC ), vende armas e drogas para o Primeiro Grupo Catarinense de Santa Catarina ( PGC ). Desde junho de 2016, com a morte de Jorge Rafaat Toumani e o fim da parceria entre o PCC e o CV , uma sangrenta guerra entre as duas organizações criminosas é travada e o PGC escolheu seu lado desde o início: o CV . O Primeiro Comando da Capital tem interesse em dominar o mundo do crime do barriga-verde para garantir o uso seguro dos portos e entrepostos catarinenses, desafogando as exportações pelo porto de Santos e dificultando a ação policial. O surgimento do Primeiro Grupo Catarinense (PGC) A organização criminosa Primeiro Grupo Catarinense surgiu em 2003 se rebelando contra as condições carcerárias dos detentos na Penitenciária de Florianópolis e posteriormente passou a atuar no mundo do crime. A facção possui estatuto que rege suas atividades e uma estrutur

O PCC e a curva de homicídio no Triângulo Mineiro

Gabriel Feltran , é o autor dos livros Irmãos: Uma história do PCC , Fronteiras de tensão: Política e violência nas periferias de São Paulo , além de ter colaborado em vários outros, é reconhecidamente um dos maiores especialistas quando o assunto é Primeiro Comando da Capital . Atualmente, Gabriel é o pesquisador responsável por um estudo sobre o impacto da facção paulista no Triângulo Mineiro , no qual orienta Thalia Giovanna Marques de Sousa pelo Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) : Tragédia e transformação: o PCC e as curvas de homicídio no Triângulo Mineiro/MG Há vinte anos, o Primeiro Comando da Capital , passou dominar hegemonicamente o mundo do crime no estado de São Paulo , o que reduziu em mais de 66% as taxas de homicídio no estado. A facção nasceu e se fortaleceu sob um Estado policialesco que utilizou como política de segurança pública o encarceramento em massa das populações periféricas. Que a facção PCC 1533