Pular para o conteúdo principal

Últimas Notícias – PCC 1533



PRIMEIRO COMANDO DA CAPITAL

 ÚLTIMAS NOTÍCIAS  


6 de maio de 2019


Laços de Sangue, o neoliberalismo e a facção PCC 1533
faccaopcc1533primeirocomandodacapital.org → Ricard Wagner Rizzi
→ Brasil
→ Crismes Transnacionais — Política de Segurança — Organização Criminosa

“Se houver amanhã”, de Sidney Sheldon, era um dos preferidos de Zé Márcio, e esse amanhã chegou. Os campos já estavam prontos para serem colhidos por organizações feitas sob medida para o competitivo mundo do comércio globalizado.

A organização criminosa ‘Ndrangheta buscava um parceiro no Cone Sul capaz de suprir suas necessidades e o volume de negócios da organização italiana em 2008 equivalia ao PIB reunido de todos os estados do Norte do Brasil: 163 bilhões de Reais.

Apenas um grupo poderia encarar o desafio de trazer drogas das lavouras da Bolívia, da Colômbia, do Peru e do Paraguai passando por trilhas, estradas e rios, atravessando pelo Brasil e enviá-las para a África e a Europa: o Primeiro Comando da Capital.

29 de abril de 2019


Facção PCC 1533 como “corpo político”
faccaopcc1533primeirocomandodacapital.org → Ricard Wagner Rizzi
→ Brasil
→ Conto — Política de Segurança — Organização Criminosa

As ruas estão vivas e se alimentam dos sentimentos comuns difundidos nas conversas, nas rodinhas, nas escolas e nas redes sociais. Cada um que é preso ou morto alimenta ainda mais o imaginário que afeta e fortalece o espírito do grupo.

É interessante como a palavra “afeta” pode transmitir mal seu significado.

Os sentimentos pelos quais passam durante as conversas ou o que veem nas ruas e nas mídias afetam os jovens insurgentes, criando neles um espírito de corpo ilógico, baseado em suas emoções, que passarão a buscar saciar desejos insaciáveis.

22 de abril de 2019


Segurança pública deve ser um objetivo do governo?
faccaopcc1533primeirocomandodacapital.org → Ricard Wagner Rizzi
→ Brasil
→ Conto — Crimes Transnacionais — Organização Criminosa

O que almejamos, eu, você e qualquer outra pessoa, é que um bom vendedor nos ofereça esperanças e nos mantenha como se estivéssemos assistindo a um filme de suspense na telinha, nos enchendo de medo e expectativa a cada instante.

15 de abril de 2019


Um agiota na Família PCC 1533
faccaopcc1533primeirocomandodacapital.org → Ricard Wagner Rizzi
→ Brasil
→ Conto — Usos e costumes — Organização Criminosa

Embora a facção Primeiro Comando da Capital proíba agiotagem, há um caso conhecido de um agiota que financiava ações dentro da organização criminosa paulista.

26 de março de 2019


Depressão: opressão do sistema carcerário em seus agentes
faccaopcc1533primeirocomandodacapital.org → Ricard Wagner Rizzi
→ Brasil
→ Sistema Prisional — Política de Segurança

A opressão no ambiente carcerário como fator necessário para o sucesso de uma política de segurança pública, as pesquisadoras Oriana Hadler e Neuza Maria de Fátima Guareschi, ao contrário de mim, de você e do capitão Jair, não acreditam que aqueles trabalhadores e apenados padecem por conta de suas escolhas, mas pelo resultado de uma desumana equação política.

8 de março de 2019

PCC Matrix é capturado e o presidente elogia a polícia
RDN Resumen de Noticias → Redação
→ Paraguai
→ Combate à facção — Política de Segurança

Dois presidentes twittam:

Um deles elogia publicamente a equipe policial que capturou, após um cerco exemplar, o mais perigoso integrante do Primeiro Comando da Capital:
“Felicitações à Polícia Nacional pela detenção e recaptura de um dos principais chefes da organização PCC, Thiago Ximenes, o Matrix em operação na Villa Ygatimi, Canindeyú. Mais um passo em nossa luta pela segurança do país.” - Marito Abdo @MaritoAbdo
O outro presidente twitta afirmando que ouviu alguém da Polícia Federal dizendo que o PCC teria interesse em que ele morresse, então quem sabe, não houvessem abandonado a ideia do atentado à bomba e tivessem mandado uma pessoa com problemas mentais armado com uma faca?
— agora o Sergio Moro vai ter que conseguir apresentar algum indício nesse sentido ou perigas levar outra invertida pública.

Um desses dois presidentes também postou um vídeo com um cara mijando e outro enfiando o dedo no ânus. Você conseguiria dizer qual dos dois foi o responsável por essa postagem?

Deus nos proteja, mas acima de todos nós, que proteja Sucupira e ao nosso Brasil.


7 de março de 2019

Aqueles que julgavam, agora serão julgados
Correio do Estado → Renan Nucci
→ Mato Grosso do Sul
→ Combate à facção — Tribunal do Crime

Todos eles já são conhecidos há muito dos órgãos policiais, mas conseguiam escapar de um jeito ou de outro, mas um homem que estava sendo guardado por eles, a espera do julgamento pelo Tribunal do Crime consegui escapar e acionar a polícia.

Esse erro derrubou a célula do Tribunal do Crime da cidade de Naviraí, compostas pelos PCCs Rodrigo Mariano da Costa, Igor Felipe Jara Canuto de Souza, Samuel de Oliveira da Cruz, e Christiano Moraes dos Santos.

5 de março de 2019

Polícia paraguais caça e mata integrante do PCC
RDN Resumen de Noticias→ Redação
→ Paraguai
→ Combate à facção

O cerco aos PCCs foi feito na Villa de Ygatimí em Canindeyú, onde Reinaldo de Araújo que é um dos integrantes da quadrilha liderada por Thiago Ximenes, o PCC Matrix, acabou sendo morto após confronto com a polícia.

Ações dos governos brasileiro e paraguaios desarticulam PCC
Ponta Porã News → Redação
→ Paraguai
→ Guerra entre facções

As transferências de líderes da facção Primeiro Comando da Capital para presídios federais, somados a prisão no Brasil de Sergio de Arruda Quintilano Neto, o PCC Minotauro, colocam em risco o equilíbrio de forças na região da fronteira.

O Comando Vermelho (CV) entre outros grupos, também poderão tentar conquistar rotas de tráfico de drogas e armas que estavam sob o controle do PCC, e a disputa poderá ser sangrenta.

4 de março de 2019

O PCC estaria lavando dinheiro através de mineração de bitcoins?
CriptoNoticias → Genny Diaz
→ São Paulo
→ Lavagem de dinheiro

Alguém falou para para a polícia que o Primeiro Comando da Capital estaria lavando dinheiro através da mineração de bitcoins em equipamentos instalados em uma casa, e a polícia foi lá e encontrou os tais equipamentos – ficou bonito na foto e nas manchetes dos jornais:
“O crime migrou, ele sofisticou. É um crime bem organizado, bem complexo. Na verdade ele transformou o dinheiro ilícito de tráficos e roubos em bitcoin.” – cb PM Samuel
Só que talvez não seja bem assim, alguns detalhes colocam em dúvida esse sofisticado sistema de lavagem de dinheiro atribuído ao Primeiro Comando da Capital:


  • o imóvel não teria energia suficiente para alimentar os 20 equipamentos apreendidos;
  • se funcionasse, conforme estavam na foto apresentada pela polícia, os equipamentos se queimariam pelo calor gerado; e
  • o modelo do equipamento (Whatsminers M3) está obsoleto e não presta mais para essa finalidade.

“Os policiais teriam declarado que “eles (os criminosos) injetam o dinheiro na máquina, compram o Bitcoin e o armazenam”. Esta declaração deixaria em evidência a ignorância de como funciona um equipamento de mineração, que não recebe contas como um caixa eletrônico faria.” – Genny Diaz



28 de fevereiro de 2019

Líder do PCC no Alagoas é preso em Pedro Juan Caballero
UltimaHora → Redação
→ Paraguai – Alagoas
→ Combate à facção

Raphael Costa Sampaio fugiu há anos de uma penitenciária paulista, seguiu para Alagoas onde liderou um núcleo da facção até que em 2016, uma investigação policial conseguiu prender toda a liderança da organização criminosa naquele estado…

“toda” a liderança? Não. Raphael, o PCC Oaklei, que era responsável pelos armamentos da facção conseguiu escapar, pelo menos o último dia 25, quando foi preso na província de Amambay.

Agora como todo bom filho, a casa está voltando. As autoridades paraguaias providenciaram sua deportação e foi entregue hoje para as autoridades brasileiras.

25 de fevereiro de 2019

Políticas criminais e penitenciárias de amadores
Portal Sifuspesp → Diorgeres de Assis Victorio
→ Brasil
→ Sistema Prisional

Diorgeres é alguém que conhece como poucos o sistema prisional brasileiro, ele viveu parte de sua vida nos corredores dos presídios antes de seguir para a vida acadêmica.

Nesse artigo ele analisa os efeitos práticos da transferência dos líderes do Primeiro Comando da Capital para os presídios federais e outras alterações que constam na proposta do Ministro Sérgio Moro e são defendidas por governadores que pensam mais no palanque que na segurança pública (tipo: homicídios aumentam no primeiro mês de João Dória).

Assim como o penitenciarista, quem conhece a mente criminal sabe que é inútil endurecer penas e dificultar os benefícios como a progressão de regime como forma de intimidação não tem a menor possibilidade de influir no modo de pensar e agir dos criminosos.

Mas será possível que quase treze anos após a declaração de sua inconstitucionalidade, o Estado vai querer entupir ainda mais as cadeias, fazendo com que essas pessoas que cometeram crimes hediondos permaneçam mais tempo cumprindo penas no regime fechado? Se anteriormente essa política criminal legislativa não conseguiu inibir o crime, por que agora esses criminosos iriam temer a tal mudança na lei? […] essa “técnica legislativa penal” de endurecer com quem já foi muitas vezes endurecido […] a história já nos mostrou que não funciona. Fico indignado com essas políticas criminais e penitenciárias de amadores.

O Primeiro Comando da Capital surgiu graças a um sistema prisional dirigido por políticos e funcionários públicos que fizeram de nossas prisões, masmorras, nos quais os mais duros criminosos, “acostumados om essa vida de mortes, de torturas, de injustiças, covardias e etc, pois sempre viveram nesse ambiente”, assumissem o controle da massa carcerária em busca inicialmente de uma maior justiça carcerária.

O especialista analisa ponto a ponto as propostas e trás uma retrospectiva de como foi no passado, como está agora, e aonde chegaremos se nossa sociedade continuar a seguir pelos caminhos traçados por essa nova administração.

Ele ironiza várias decisões estapafúrdias tomadas nos últimos dias…

Observando as informações sobre as transferências, verifiquei que o Marcolinha (irmão do Marcola) teria sido transferido para a Papuda. “Mas será o Benedito” que transferiram ele para o local que anteriormente seu irmão teria fundado uma filial do PCC em uma das políticas criminógenas do Estado de SP? Por mais absurdo que seja isso, infelizmente é outra verdade. Na transferência do “Marcolinha” (irmão do Marcola) o transferiram para Brasília, mesmo local onde seu irmão (graças ao Estado de SP) fundou o PLD…

Membros de facções devem ser executados, afirma jornal americano
Washington Examiner → James N. Iredale
→ Estados Unidos da América
→ Combate a facção

As facções criminosas como o Primeiro Comando da Capital (PCC), o Mara Salvatrucha 13 (MS-13) e o Barrio 18, deveriam ser penalizados como se tivessem tentando tomar o poder.

As facções criminosas tentam controlar territórios e impor suas leis, colocando em risco o Estado Constituído e portanto deveriam responder não como criminosos comuns, mas como terroristas que atentam contra a segurança nacional.
". tornar-se membro de um cartel de drogas, gangues ou outra organização com esse grau de violência, deve ser tratado como um crime capital, pois é uma traição contra o Estado e justamente devem enfrentar a pena de morte."
20 de fevereiro de 2019

Há mais de duas décadas o PCC e a ‘ndrangheta atuam juntas
Il Dispaccio → Redação
→ Itália — Colômbia — Brasil
→ Tráfico internacional

O artigo do periódico italiano traça o caminho da droga da Colômbia à Europa e à Africa, e cita a antiga aliança da facção brasileira Primeiro Comando da Capital e o cartel italiano ‘ndrangheta:
"Uma investigação histórica do Ministério Público de Milão, chamada ‘Fortaleza’, demonstra que, no início dos anos 90, Rocco Morabito, conhecido como U’Tamunga, organizou o transporte de centenas de quilos de cocaína do Brasil para a Europa. Para ajudá-lo, o jordaniano Waleed Issa Khamays, uma peça importante no tabuleiro de xadrez do narcotráfico, facilitou o contato direto com o mais poderoso grupo criminoso do Brasil, o Primeiro Comando Capital. Desde a década de 90 até hoje, Khamays nunca interrompeu as relações com a ‘ndrangheta."

Ganha um pirulito quem achar onde estão os veículos
abc Color → Redação
→ Paraguai
→ Corrupção policial

“Juro que deixei o carro estacionado aqui!” essa frase que costuma acompanhar pessoas cujo carro não está mais onde deixou, ou por ter estacionado em outro lugar, ou por ter sido levado por criminosos, foi dita (penso eu) pelos policiais responsáveis pela apreensão dos veículos do PCC Minotauro (Sergio de Arruda Quintiliano).

Os seus agentes que ficaram responsáveis pela guarda do galpão não convenceram quando apresentaram um cadeado estourado, um sorriso amarelo e a desculpa que pediram para os superiores licença para saírem de vez em quando do lugar.

O próprio ministro do interior veio a público para dizer que ninguém vai colocar panos quentes em casos de corrupção policial:

"Eu tenho que trabalhar com um policiais muito bons e com outros corruptos. E ninguém pode negar esses extremos. E aqui não é sobre confiança, é sobre todo mundo ter que se ajustar o seu comportamento ao que as regras estabelecem. E aqueles que não querem ajustar seu comportamento, têm suas portas abertas para deixar a polícia. E quem acredita que pode ter qualquer comportamento dentro da polícia, então tem que se submeter às regras porque, caso contrário, ele será processado." - Juan Ernesto Villamayor

Vencer a liderança do PCC é dividir a facção
BBC News – Leandro Machado e Luíza Franco
→ São Paulo
→ Sistema Prisional — Organização Criminosa — Segurança Pública

Após a transferência dos líderes da facção Primeiro Comando da Capital, os integrantes da facção nas ruas e dentro dos presídios não conseguiram executar os ataques que estavam previstos.

A ação rápida e articulada das autoridades federais e estaduais de diversos estados, mobilizou dezenas milhares policiais, agentes penitenciários, militares e membros da Justiça e do Ministério Público, e com isso impediu que algum “salve” pudesse ser distribuído para desencadear uma reação dos criminosos.

O promotor de Justiça Lincoln Gakyia (MP-SP), em outras palavras, disse que seguirá o conselho de Sérgio Moro e vai seguir a trilha do dinheiro, tal qual o atual ministro da Justiça fazia quando em Curitiba atuava como juiz (e diferentemente do que faz hoje, quando se cala quando o governo encobre as pistas deixadas pela grana apenas por parentes de políticos).

Apesar de não descartar a possibilidade de ocorrer uma nova onda de ataques como houve em 2006, ele afirma que a ação precisa das forças oficiais quebraram a cadeia de comando da facção paulista impedindo uma resposta.

Ao mesmo tempo em que se transferiam os líderes da facção para os presídios federais, os presídios do estado de São Paulo passavam por revistas e havia transferência de lideranças do segundo escalão entre os próprios presídios estaduais, apenas para desorganizar os núcleos de comando.

Além disso, o promotor paulista afirma que faz tempo que a liderança de Marcola e seu grupo é contestada por membros da facção que estão em liberdade, mas que estes nunca tiveram força para se contrapor a hierarquia da Família 1533, e essa ação do poder público deixou o caminho aberto.

O Primeiro Comando da Capital ainda não é uma organização mafiosa pois não sabe como fazer a lavagem de seu dinheiro, e essa quebra de sua hierarquia enterra de vez a possibilidade de se tornar um cartel internacional

Não é a primeira vez que o promotor de Justiça Lincoln Gakiya vem a público para anunciar que cortou a cabeça da Hidra de Lerna, deixando a facção sem liderança, mas dessa vez, houve uma vitória inegável.

Segundo ele, o governo tem que diminuir a população carcerária ou aumentar o número de vagas para assim retomar o controle do Sistema Prisional que hoje é uma porta de entrada para o crime organizado, se não o fizer, não a situação tenderá voltar a estaca zero.

A desarticulação da cúpula do PCC podo ter em um primeiro momento um efeito colateral…
A liderança enfraquecida terá que disputar o poder dentro e fora das muralhas, com milhares de pequenas lideranças sem estrutura aterrorizando bairros periféricos, que hoje já estão pacificados, e várias regiões seguirão o destino dos morros cariocas, com grupos de milicianos e criminosos disputando o tráfico.
… como no passado, Gakyia pode estar errado e a facção continuar a funcionar novamente sem grandes transtornos, ou talvez tenha tido sucesso. O resultado será visto dentro dos presídios e nas ruas.




19 de fevereiro de 2019

Dúvidas sobre a escolha sobre a nova morada de Marcola
UOL notícias – Aiuri Rebelo, Luís Adorno e Flávio Costa
→ Rondônia
→ Sistema Prisional — Organização Criminosa

Muitos acreditavam que o governo evitaria enviar Marcos Willians Hebas Camacho, o Marcola do PCC, para um dos presídios federais próximos à fronteira, mas foi exatamente isso que aconteceu.

O líder da facção Primeiro Comando da Capital já tem um novo endereço para correspondência, é Presídio Federal de Rondônia, localizado na Rodovia BR 364 Km 44, no Sítio Boa Esperança em Porto Velho, a apenas 160 quilômetros da fronteira com a Bolívia.
A penitenciária de segurança máxima em Porto Velho fica afastada da cidade em área de mata densa. Do lado de fora do presídio, é possível ver que o Exército montou diversos postos de controle de veículos, com obstáculos na pista, e até ninhos de metralhadora calibre .50, de alto poder de destruição, protegidos com sacos de areia.
Além de reforçar o entorno do presídio, o exército também deslocou tropas para fronteira, pois teme-se que a organização criminosa monte uma força tarefa fora do país para fazer o resgate do líder faccioso.

Eu não consigo entender como que o Estado tem a “cara de pau” de se vangloriar com essas transferências, nos tentando induzir a erro fazendo-nos acreditar que isso nunca teria acontecido na vida de membros do PCC e que essas transferências seriam capazes de surtir algum grande efeito. Se o leitor verificar com atenção as datas verificará que os mesmos ficaram distantes anos do Estado de SP e que na verdade isso só lhes trouxe mais poder junto aos presos e a própria organização.

17 de fevereiro de 2019


PCCs procuram casa nova em Brasília
→ Metrópoles – Mirelle Pinheiro e Carlos Carone
→ Brasília
→ Sistema Prisional — Organização Criminosa

A mega transferência de líderes do Primeiro Comando da Capital levou à Brasília pelo menos três integrantes, entre eles o irmão de Marcola: Alejandro Juvenal Herbas Camacho Júnior, o Marcolinha; Antônio José Müller, o Granada; e Reinaldo Teixeira dos Santos, conhecido como Funchal ou Tio Sam – não se tem confirmação de outros nomes os outros.

Autoridades policiais brasilienses acreditam que há a possibilidade de criação de núcleos da facção no entorno e confirmam que existem pelo menos quatro áreas que já foram sondadas pelos facciosos para montar suas bases próximas ao presídio federal.

A reportagem do Metrópoles, além de apontar a presença de nuvens no horizonte, faz um retrospecto da organização Primeiro Comando da Capital em Brasília, as ações do poder público que tentaram, até agora em vão, deter o fortalecimento da facção.

Em 2001 com a transferência do líder do PCC para Brasília…
No curto período em que esteve na Papuda, Marcola criou um braço do PCC chamado pelos criminosos de Partido Liberdade e Direito (PLD). Investigadores identificaram que a facção havia sido criada nos mesmo moldes da organização paulista, inclusive em relação às regras contidas em seu estatuto.

Em 2019 com a transferência de líderes do PCC para Brasília…

15 de fevereiro de 2019

A subcultura criminal do PCC 1533 na prática existe?
site Facção PCC 1533 Primeiro Comando da Capital . org
→ São Paulo
→ Ciências Sociais — Usos e costumes

Moleque que mora na quebrada só conhece a bota do Estado, que quando chega na sua comunidade é para se impor pela força ou extorquir os garotos e os gerentes do corre.

(…) a teoria sociológica da Subcultura criminal (…) identifica seus seguidores como indivíduos que, por não atingirem as metas culturais (poder, riqueza, status social etc), através dos meios institucionalizados (escola, trabalho etc) disponíveis, rompem com o sistema como uma espécie de frustração e acabam por ter a sociedade e o Estado como inimigos, opressores e, consequentemente, corruptos.

Essa garotada entende a linguagem usada na confecção do Estatuto do PCC e do Dicionário do PCC e se identifica com o personagem criado e com os ideias apontados pelos seus idealizadores.


13 de fevereiro de 2019

Marcola é transferido para um presídio federal
site Facção PCC 1533 Primeiro Comando da Capital . org
→ São Paulo
→ Sistema Prisional — Organização Criminosa — Segurança Pública

Transferir Marcola para um presídio federal é uma aposta do governador João Dória que tem poucas chances de não lhe ser vantajosa politicamente, se houver reação por parte dos facciosos ele ganhará com o aumento do medo da população que reforçará sua estratégia de combate rígido às organizações criminosas, por outro lado, se não houver uma reação dos criminosos, ele terá demonstrado que venceu a facção criminosa ao enfrentá-la de frente, o que os seus antecessores não tiveram coragem ou falta de senso de fazer.

Para a penitenciária de Brasílias seguiram Alejandro Juvenal Herbas Camacho Júnior, o Marcolinha, irmão de Marcola; Antônio José Müller, o Granada; e Reinaldo Teixeira dos Santos, conhecido como Funchal ou Tio Sam, os outros ainda não se tem confirmação.



Do Marco Cheira Cola ao Marcola do PCC
Folha de São Paulo → Rogério Pagnan
→ São Paulo
→ Organização Criminosa

Marcola começou como garoto zica na região do Cambuci no centro de São Paulo, onde batia carteiras para cheirar cola, daí seu apelido de “Marco Cheira Cola”. Passou quase toda a sua vida dentro do Sistema Penal brasileiro: quando menor de idade na antiga FEBEM e quando maior por vários presídios estaduais, até ser agora transferido para um presídio federal.

Apesar de não estar no time de futebol que deu origem a facção e ter tido uma participação pífia naquele momento histórico, ele era amigo de sangue de Cesinha, um dos pais fundadores da facção e integrante da agremiação futebolística, de onde se conclui que tenha sido um dos elaboradores do núcleo inicial.
Pessoas que tiveram contato com Marcola o descrevem como carismático e inteligente, alguém que leu vorazmente, no cárcere, “A Arte da Guerra”, do filósofo chinês Sun Tzu, e obras do poeta italiano Dante Alighieri. Não costuma falar palavrão e é considerado vaidoso —por isso também tem o apelido de Playboy e Bonitão.
12 de fevereiro de 2019


As prisões federais argentina caminham para o colapso
InSight Crime → Parker Asmann
→ Argentina
→ Sistema Prisional

A facção brasileira Primeiro Comando da Capital estaria utilizando como base de distribuição de drogas as províncias argentinas de Misiones e Corrientes.

O aumento das apreensões de maconha em 2018 não refletem uma maior capacidade do Estado em combater o tráfico, e sim a expansão das atividades dos grupos criminosos na região.

A política de encarceramento está levando ao colapso o sistema prisional federal argentino, que na região está trabalhando no limite de sua lotação, caminho que parece que será seguido agora pelo Brasil com a federalização se seus criminosos de organizações criminosas.


Análise das propostas de Sérgio Moro para a Segurança Pública
RT actualidad → Luna Gámez
→ Brasil
→ Direito Penal — Política de Segurança Pública — Direitos Humanos

Sob o argumento que o Primeiro Comando da Capital e o Comando Vermelho, entre outras organizações criminosas, devem ser controladas, o Ministro Sérgio Moro está propondo uma série de medidas para seu efetivo combate.

Entre os argumentos prós e contras, a repórter Luna Gámez destaca quem de fato ganha e quem perderá nessa queda de braço, assim como aponta os acertos, falhas e até contradições da proposta:
Entre outras propostas, o Ministro da Justiça propõe para endurecer as penas para porte de armas ilegalmente, que, enquanto seria um passo lógico contra o crime, apresenta uma incoerência política após Bolsonaro ratificado em 15 de janeiro um decreto para facilitar acesso às armas, uma das principais promessas de sua campanha.

11 de fevereiro de 2019

FDN busca rota alternativa ao Solimões
El Espectador → Elaboração Judicial
→ Amazonas — Colômbia — Venezuela
→ Guerra entre facções — Crimes transnacionais — Tráfico de drogas

Com a apreensão de uma tonelada de maconha em Bogotá da facção Família do Norte (FDN), as autoridades colombianas divulgaram o resultado de suas investigações desvendando uma nova rota de entrada de drogas pelo norte do Brasil passando pela Venezuela .

O esquema foi descoberto quase por acaso. Os FDNs entraram como turistas para visitar a feira de Cali, mas chamaram a atenção por “sua aparência de gângster”: se hospedarem em hotel de alto luxo e contratar prostitutas.

Segundo o que foi apurado pelas autoridades, Gelson Carnaúba (Mano G) da FDN teria enviado os três integrantes ao departamento de Cauca para negociar uma nova rota permanente de drogas que partiriam da da Zona Sul de Bogotá para Vilavicencio, de lá para Pueto Gaitán, seguindo daí pelo rio Meta até Puerto Carreño no departamento de Vichada, e de lá entraria na Venezuela pelo rio Orinoco para só então seguirem para o Brasil.

A negociação da Família do Norte se deu com o Orejas, um dos líderes da organização criminosa Los Pelusos de Corinto que está disputando com os resistentes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) o comércio das drogas.

Bons tempos em que a Rota do Solimões era um caminho seguro para a importação de drogas por parte da Família do Norte. O Primeiro Comando da Capital investiu pesado em acordos com os piratas que atuam naquela área e enviou pessoal próprio para dificultar o acesso da facção inimiga, que agora procura caminhos alternativos.




9 de fevereiro de 2019

O envolvimento do PCC na morte da advogada do CV
att.net → Agencia EFE
→ Paraguai
→ Crimes transnacionais

O promotor de Justiça Marcelo Pecci confirma que existe a possibilidade do envolvimento do Minotauro do PCC (Sérgio de Arruda Quintiliano) com o grupo de 15 pessoas presas essa semana e que teriam matado a advogada Laura Casuso, defensora de Marcelo Piloto do CV e também de Javis Chimenes Pavão do próprio PCC.

7 de fevereiro de 2019

Megaoperação de combate ao PCC em MS
Campo Grande News → Viviane Oliveira, Bruna Pasche e Geisy Garnes
→ Mato Grosso do Sul
→ Combate à facção – Sistema prisional

A maioria dos mandados de prisão e busca foram para suspeitos que já estavam presos em penitenciárias de Campo Grande e do interior sul-mato-grossense.

Os alvos eram os integrantes do Primeiro Comando da Capital que mantinham contato de dentro de diversos presídios com as equipes que estavam em campo.

Uma das novidades apresentadas por essa Operação foi a informação que a facção trabalha com depósitos utilizados como reserva estratégica para emprestar para biqueiras e distribuidores no caso de haver atraso na entrega de encomendas, evitando assim o desabastecimento e o desconforto do cliente.

5 de fevereiro de 2019

53 PMs presos por trabalhar com PCC
R7 São Paulo → Kaiaque Dalapola
→ São Paulo
→ Corrupção Policial

O MP-SP após receber uma denúncia de que os integrantes da Força Tática do 22º Batalhão estaria trabalhando com o Primeiro Comando da Capital na proteção das biqueiras e pacificação do bairro começou uma investigação.

Até aí sem novidade, o esperado aconteceu: 53 policiais foram presos por participar do esquema. O que surpreendeu na reportagem de Kaiaque Dalapola (sempre esse cara me surpreende) foi mostrar que o bairro ficou mais pacífico, a polícia menos violenta e mais eficaz no combate ao crime após o acordo feito com a facção PCC 1533.
“Em relação à segurança está a mesma coisa, mas em relação ao tratamento da polícia com a população eles [PMs] estão um pouco mais atentos, não estão maltratando as pessoas. Eu não ouvi mais relatos de violência contra a população.” - Zilda Paiva




31 de janeiro de 2019

Facção PCC não está envolvida nos ataques no Ceará
O Povo → Cláudio Ribeiro, Thiago Paiva e Demitri Túlio
→ Ceará
→ Atentados terroristas – Sistema prisional

Governo do Ceará admite que não há nenhum indício de participação do Primeiro Comando da Capital na onda de atentados contra o governo que assola o estado do Ceará.

Se os garotos do Guardiões do Estado (GDE) e o grupo local do Comando Vermelho (CV) não estão sucumbindo aos esforços de contenção do governo, como estaria sendo se o Primeiro Comando da Capital estivesse participando dos ataques?

As autoridades ainda não arriscam afirmar os motivos que levaram a neutralidade da facção paulista PCC 1533, mas levantam duas hipóteses: ou os facciosos aguardam uma ordem de ataque maior, ou estão aproveitando que as forças policiais estão saturadas para auferir lucros.

Os revoltosos do GDE e do CV afirmam que o atual secretário da administração pratica tortura, maus tratos e se nega a manter os criminosos separados por facção. Promotores de Justiça que investigaram as acusações dizem que é conversa fiada e está tudo bem nos presídios.

O próprio secretário Luís Mauro Albuquerque declarou publicamente que não reconhecia as facções e que colocaria todos os prisioneiros de facções diferentes sob um mesmo teto. Pronto, foi feita sua vontade, agora eles estão unidos, será que o secretário está satisfeito com o resultado do seu trabalho?

29 de janeiro de 2019

Explicando o envolvimento do PCC com o tráfico internacional
abc color → Redação
→ Paraguai
→ Tráfico internacional

Durante o julgamento de Tomas Rojas (Toma’i), o promotor de Justiça Isaac Ferreira afirmou que o paraguaio atuava em parceria com Rojas Carlos Antoio Caballero (Capilo), e conta como funcionava o esquema intermediado por advogados em Ciudad del Este.

27 de janeiro de 2019

A operação dos criminosos durou 5 horas
Correio do Estado → Renan Nucci e Renata Volpe Haddad
→ Mato Grosso do Sul
→ Sequestro – Assalto

Eles diziam durante o sequestro serem do Primeiro Comando da Capital, mas a polícia ainda não confirmou a informação.

O UBER foi chamado à um motel no Jardim Leblon e quando o casal embarcou anunciou o assalto. Seis criminosos se revezavam nos assaltos e ficaram a madrugada toda indo de um lado para o outro fazendo nos roubando de quem estava pelos pontos de ônibus.

25 de janeiro de 2019

“Esse cara está duvidando da nossa força, mata ele”
Rádio Bandeirantes → Redação
→ São Paulo
→ Combate à facção

Em determinado pondo do bilhete é narrado que já ouve uma tentativa frustrada de matar promotor de Justiça Lincoln Gakiya:
… o promotor japonês continua a mesma fita. Ele tá dando uma sorte danada, fiquei sabendo que vocês quase pegaram ele no trânsito, mas é isso mesmo meus parceiros, só tenho a agradecer a atenção que vocês estão dando, arriscando a vida de vocês pela nossa luta e nossa causa.
Outras autoridades citadas na carta são:

  • Roberto Medina – coordenador dos presídios da região Oeste
  • Fernando Negrão – diretor-geral do P2 do Presídio de Presidente Venceslau
  • Maurício Moreira Souza – diretor de Segurança e Disciplina da P1 de Presidente Venceslau


24 de janeiro de 2019

Operação Transponder cumpre dezenas de mandados
G1 São Paulo → Redação
→ São Paulo
→ Combate à facção

Centenas de policiais civis agindo simultaneamente em dezenas de municípios paulistas cumpriram mandados de busca e prisão após uma investigação baseada em cartas trocada por presos de Presidente Prudente.

As investigações mostraram que o comando das operações transnacionais do Primeiro Comando da Capital estavam sendo feitas a partir de presos da Penitenciária Ozias Lúcio dos Santos, em Pacaembu.

Os policiais atuaram em Andradina, Aparecida, Carapicuíba, Caiuá, Guarulhos, Flórida Paulista, Irapuru, Junqueirópolis, Martinópolis, Mirassol; Mongaguá, Pacaembu, Presidente Bernardes, Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, São José do Rio Preto, São Paulo, Sorocaba, Taboão da Serra e Teodoro Sampaio.


23 de janeiro de 2019

Análise do discurso à luz da subcultura criminal
FAMETRO → Isabelle Lucena Lavor
→ Ceará
→ Sociologia criminal

O objetivo da pesquisa consistiu em fazer uma breve análise do discurso disseminado pela Facção criminosa intitulada Primeiro Comando da Capital – PCC, a partir da Teoria da subcultura criminal, no que se refere ao monopólio da violência e do fortalecimento do tráfico de drogas no país.

Tal Teoria sociológica parte do pressuposto de que determinados grupos usam a violência como um meio para se legitimar perante a sociedade. A metodologia respaldou-se em pesquisa bibliográfica, balizada na revisão da literatura, com o suporte de autores clássicos e contemporâneos que tratam do tema.

Concluiu-se que, apesar das diversas elaborações teóricas sobre o assunto, além de propostas alternativas à criminalidade, ressalta-se que ainda existem diversas lacunas que necessitam ser preenchidas com o desenvolvimento de mais pesquisas, podendo-se antecipar que o combate à corrupção seria um esperançoso início, embora muito difícil, uma vez que se trata de uma questão tão custosa às sociedades modernas, além de se assinalar a complexidade do objeto.

22 de janeiro de 2019

PCC perde quase uma tonelada de maconha na fronteira
Campo Grande News → Hélio de Freitas
→ Paraguai – Mato Grosso do Sul
→ Crimes Transnacionais

Ademir Amaro da Silva recebeu cinco mil reais para ir buscar uma BMW X5 em Pedro Juan Caballero e levar até o Trevo da Bandeira em Dourados.

A polícia no entanto já estava investigando o proprietário do carro que ele pegou para conduzir. Quando foi parado pela Polícia Rodoviária Federal para fazer uma fiscalização do veículo foi localizado 940 quilos de maconha escondidas.

Segundo a polícia, essa droga pertenceria ao Primeiro Comando da Capital e estava sendo trazia para o Brasil do Paraguai devido a guerra entre as facções que está ocorrendo por aquelas paragens.

18 de janeiro de 2019

Nações do Cone Sul devem combater juntas o PCC
→ La Nación → Redação
→ Paraguai – Argentina – Brasil
→ Crimes Transnacionais

O ministro do interior paraguaio Juan Ernesto Villamayor afirmou que:

"Não é um negócio para a administração de Jair Bolsonaro que o crime organizado vá para os países vizinhos, mas desapareça. É isso aí, todos nós temos que colaborar. O que representaria se fossem à Bolívia, Uruguai, Argentina, Peru, se continuassem operando? Temos que trabalhar juntos para erradicá-los ".

Ele acrescentou que o governo deve trabalhar para garantir que o Paraguai não seja um "território" confortável para criminosos, como o Primeiro Comando da Capital (PCC) ou o Comando Vermelho (CV).

"Temos que eliminar a máfia. Este é um esforço que tem sido feito em todo o continente, mas é preciso reconhecer que não houve sucesso ressonante Temos que deixar isso desconfortável para o território paraguaio ".

16 de janeiro de 2019


EPP e PCC planejaram juntas fuga de San Pedro
La Nación → Redação
→ Paraguai – Argentina – Brasil
→ Crimes Transnacionais

Autoridades paraguaias descobriram o plano de fuga na Penitenciaria Regional de San Pedro antes que ele se efetivasse e conseguiram localizar dentro das celas armas caseiras e explosivos que seriam utilizados durante a fuga planejada pelas duas organizações criminosas.


Jefte Ferreira do Santos ajudou na emboscada
G1 São Paulo → Bruno Tavares e Isabela Leite
→ São Paulo
→ Organização Criminosa

A polícia federal afirma que Jefte e a mãe dele garantiram a hospedagem dos assassinos de Rogério Jeremias dos Santos, o Gegê do Mangue, e de Fabiano Alves de Souza, o Paca. Ele foi preso em Itanhaém e fez figura para as câmeras dos repórteres quando chegou na delegacia de polícia.

15 de janeiro de 2019

PCC supera concorrentes no GameChangers 2018
InSight Crime → Jeremy McDermott, Mimi Yagoub, Victoria Dittmar e Mike LaSusa
→ Brasil
→ Organização Criminosa

Superando seus principais concorrentes, o Cartel Jalisco Nueva Generación (CJNG) do México e Ejército de Liberación Nacional (ELN) da Colômbia, a organização criminosa brasileira Primeiro Comando da Capital (PCC 1533) ficou na primeira colocação.

Segundo os especialistas do site InSight Crime, a facção criminosa se destacou por sua organização e crescimento em 2018, o que permitiu chegar a uma receita anual estimada de US $ 200 milhões.

A análise ainda aponta que o governo Bolsonaro poderá ser benéfico aos interesses da facção paulista, impulsionando seu crescimento:

“Ironicamente, a eleição do presidente Bolsonaro pode ser um estímulo para o PCC, sem dúvida em termos de recrutas, porque estão previstos mais confrontos e prisões de membros, segundo a retórica de campanha.” – InSight Crime

"[…] o motor de crescimento do PCC são as prisões, […] as prisões são os lugares onde o PCC ancora sua base e cria sua força e suas bases sociais. Quanto mais a política de aprisionamento for promovida como uma resposta à violência, mais o PCC será fortalecido e expandido. Paradoxalmente, o estado acaba atuando para fornecer mais membros ao PCC." – Camila Nunes Dias

Polícia diz que PGC pode estar correndo com o PCC
 → Última Hora → Edgar Medina
 → Paraguai
 → Crimes Transnacionais

Cinco membros da facção Primeiro Grupo Catarinense (PGC) foram presos em Minga Guazú no Alto Paraná, eles seriam responsáveis pelo envio das drogas para serem redistribuídas para toda região sul do Brasil: Osmar de Souza Júnior, Cristiano Pereira Mendes, Lucas Vargas, Mário Javier da Silva e Mário Antônio Roldo.

O mais interessante é que os policiais disseram ao repórter acreditar que os integrantes do PGC estavam trabalhando em conluio com o Primeiro Comando da Capital (PCC) facção inimiga do grupo catarinense.

13 de janeiro de 2019


As facções criminosas se fortalecerão em 2019
InSight Crime → Jeremy McDermott
→ Paraguai – Colômbia – Peru – Venezuela
→ Crimes Transnacionais

São cinco as razões pelas quais o crime organizado ganhará espaço na América Latina neste ano:

  1. falta de integração entre os governos no combate às organizações e no planejamento estratégico de soluções às causas sociais do crime;
  2. os governos nacionais voltaram a apresentar soluções para o combate ao crime que já não deram certo no passado;
  3. corrupção politica;
  4. Boom nas economias criminosas; e
  5. agilidade e mais clandestinidade do crime organizado transnacional.

As três organizações criminosas que mais cresceram na América Latina em 2018:

  1.  Primeiro Comando da Capital (Primeiro Comando da Capital - PCC),
  2.  Exército de Libertação Nacional (ELN) da Colômbia, e
  3. Cartel Jalisco Nova Geração (CJNG).

A política de Segurança Pública deverá ser reforçada em 2019, fortalecendo as organizações criminosas que tem como base o sistema prisional: o PCC, o Comando Vermelho (Comando Vermelho), a MS 13 e Barrio 18.

11 de janeiro de 2019

Explicando com detalhes o tráfico internacional da Tríplice Fronteira
hoy.com → Infobae
→ Paraguai – Colômbia – Peru – São Paulo
→ Crimes Transnacionais

"Não há relação, como se diz, entre o Hezbollah e o cartel brasileiro do PCC. Não há relação entre o Hezbollah e o crime organizado aqui. Eles nunca apresentaram uma única prova de tudo isso ", diz Fahd Jamil Georges.

O jornalista Galeb Moussa também afirma que é difícil acreditar que o Hezbollah tenha ligação com o tráfico e as facções criminosas, pela natureza do movimento religioso radical, que preza acima de tudo a ética.

"Só pensando que eles podem aceitar dinheiro que vem do ilegal, como eles também os acusaram com a questão do tráfico de drogas e todo esse tipo de problemas, eu percebo imediatamente que é uma mentira, porque eles cuidam do extremo o que é legal em todos os sentidos, desde comida lícita a dinheiro lícito até ações legais, eles têm uma ética moral, tanto militar quanto pessoalmente, impecável."

No entanto, a reportagem da Infobae traça um histórico do envolvimento das facções brasileiras nos crimes transnacionais a partir do Paraguai e os depoimentos de autoridades que apontam no efetivo envolvimento do PCC com o grupo criminoso Hezbollah e a distribuição de drogas pela Europa e Ásia.

8 de janeiro de 2019

Condenados a 30 anos de prisão líderes da facção
Estadão → Fausto Macedo
→ São Paulo
→ Justiça

Mais uma condenação conseguida pela Operação Ethos que desarticulou o departamento jurídico do Primeiro Comando da Capital, a sintonia dos gravatas.

Antonio José Muller Júnior (Granada) e Eric Oliveira Farias (Eric Gordão) foram condenados a 30 anos de reclusão
"... junto com outros acusados que estão reclusos no sistema prisional, estava inserido no mesmo conjunto de tabelas onde estavam os advogados que prestavam valiosos serviços à célula jurídica, conforme já reconhecido em sentenças relacionadas a outros processos desmembrados que derivam do mesmo processo principal, restando nítido que fazia parte daqueles líderes da facção que mesmo de dentro do presídio comandavam a célula jurídica. [...] Estenderam tentáculos para o seio do Poder Público, agredindo valores substanciosos e caríssimos a toda sociedade brasileira, adentrando em organismos e entidades vocacionadas para a proteção dos direitos fundamentais da pessoa humana."

4 de janeiro de 2019


Trégua entre Guardiões do Estado e Comando Vermelho
Diário do Nordeste → Messias Borges e Emerson Rodrigues
→ Ceará
→ Combate à facção

Aquilo que todos os especialistas diziam aconteceu: a decisão das autoridades de colocarem nos mesmos presídios facções inimigas fariam com que elas refizessem as antigas alianças.

O novo governo do Ceará resolveu testar essa teoria e o secretário da administração penitenciária Luís Mauro Albuquerque começou a transferir os encarcerados independente das ligações facciosas  que tivessem.

As primeiras informações que chegam é que os Guardiões do Estado (GDE) e o Comando Vermelho (CV) decretaram uma trégua nas hostilidades e iniciaram ataques já nos primeiros dias do ano. Em Fortaleza e na região metropolitana, ônibus incendiados e até mesmo uma ponte foi comprometida.

Como os presos estavam divididos antes da miscigenação proposta pela atual administração:

  • CV Comando Vermelho: CPPL 1 e CPPL 4
  • GDE Guardiões do Estado: CPPL 2, IPPO 2 e Unidade Professor José Sobreira de Amorim
  • PCC Primeiro Comando da Capital: CPPL 3
  • Centro de Detenção Provisória: Presos são divididos por setores.
2 de janeiro de 2019


Advogado guardava dinheiro do PCC é roubado e procura a polícia
RedUno → Diego Seas
→ Bolívia  – Argentina
→ Organização Criminosa

Denver Pedraza preferiu procurar a polícia depois que roubaram 2,2 milhões dos oito milhões de dólares que seu sobrinho guardava para o Primeiro Comando da Capital, mas a ação policial deixou o advogado desconfiado, eles apagaram as pistas deixadas pelos ladrões e o principal suspeito fugiu pelo duto de ventilação de um escritório da Força Especial de Combate ao Crime (FELCC) para onde tinha sido levado para dar declarações.

O advogado e funcionário público Denver Pedraza alegou que um de seus sobrinhos havia sido cooptado pela facção paulista para guardar o dinheiro em sua casa, e que seu outro sobrinho Kevin Suen Pedraza se associou a uma organização criminosa argentina para roubar o dinheiro que ele sabia onde era guardado.

A polícia boliviana identificou parte da quadrilha que roubou o Primeiro Comando da Capital: Regue Reimi  Peinado Arauz, Martín Alejandro Agustoni Cuestas, Roxana Vidal Bruno, Jorge Parada Mendoza, Bruna Giomara Vidal,  Deisa Jeni Fernández Cuéllar, além de um outro apenas conhecido como ‘Negro’ .

A polícia apresentou apenas 58 mil dólares, alegando que apenas conseguiu recuperar esse dinheiro, mas apreendeu veículos que haveriam sido comprados com o butim.

1 de janeiro de 2019


As promessas de João Dória para o Sistema Carcerário
UOL Notícias → Luís Adorno
→ São Paulo
→ Sistema Prisional

"Nossos parlamentares federais estão engajados na redução da maioridade penal de 18 para 16 anos e no projeto que põe fim à saidinha das prisões. Bandido tem que cumprir pena na cadeia."

Entre outras coisas o novo governador do estado de São Paulo promete deixar os líderes do Primeiro Comando da Capital isolados pelo período de um ano e acabar com as saidinhas e outros benefícios  carcerários.

O G1 conta o que o governador pode fazer, o que está fora de seu limite legal e o que já está sendo feito.

31 de dezembro de 2018


Carlos Mateo Balmelli afirma que PCC e EPP reforçam a insegurança
La Nación→ Redação
→ Paraguai
→ Segurança Pública 

“A Segurança Pública [no Paraguai] está muito comprometida. Ações criminosas do Primeiro Comando da Capital (PCC) e do Exército do Povo Paraguaio (EPP) se somam a insegurança pública que ainda é importante, e que eu acho que está aumentando.”

30 de dezembro de 2018


Alerta amarelo para a questão da segurança 
International News Safety Institute (INSI)
→ Brasil
→ Segurança Pública

O Brasil também foi desestabilizado pelos vários grupos criminosos que operam em todo o país. Desde 2010, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) realizam operações nas favelas do Rio para desbravar gangues de traficantes e reduzir a violência entre gangues. Embora a UPP tenha ajudado a reduzir significativamente a violência na cidade, a taxa de homicídios continua alta. Os turistas também são alvo esporadicamente de crimes relacionados a gangues. Em dezembro de 2016, um turista italiano foi morto a tiros quando dirigia para o Morro dos Prazeres em Santa Teresa, onde meses depois dois turistas argentinos e dois espanhóis também foram baleados após dirigirem-se erroneamente à comunidade a caminho do Cristo Redentor. Em fevereiro de 2018, o governo federal ordenou uma intervenção militar no Rio até o final do ano. As operações militares conjuntas intensificaram-se significativamente em toda a cidade. A violência relacionada a gangues também é alta em São Paulo, onde o grupo Primeiro Comando da Capital (PCC) foi responsável por uma escalada da violência desde o início de 2012. Em outubro de 2014, um britânico que trabalhava no Brasil como tradutor foi morto durante um assalto à mão armada em um bar em Interlagos. Há também relatos diários de assaltos à mão armada nos afluentes bairros residenciais dos Jardins, Morumbi, Campo Belo e Moema.

O crime de rua continua a representar a ameaça mais significativa para estrangeiros, com assaltos e assaltos à mão armada comuns em todo o país. Pequenos criminosos geralmente operam em torno de caixas eletrônicos, centros de transportes públicos, áreas populares entre os turistas e trilhas urbanas. Os criminosos provavelmente estarão armados e possivelmente também sob a influência de drogas. No caso de um confronto, a cumplicidade é altamente recomendada. Expresso sequestro, conhecido localmente como relâmpago sequestro, ocorrem no Brasil e o risco é maior no Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Brasília e Salvador; no entanto, é importante notar que a maioria das vítimas são nacionais do país. Também ocorreram sequestros na região da tríplice fronteira, próximos às fronteiras com o Paraguai e a Argentina, especialmente nas áreas do oeste dos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul. O risco aumenta significativamente ao longo da fronteira noroeste com a Colômbia e a Venezuela, onde grupos criminosos, militantes e paramilitares operam amplamente.

29 de dezembro de 2018


Ore... eles querem parar o propósito de Deus para o Brasil
Noticias  Cristianas → Joe Irizarry

O site cristão pede orações para o presidente Bolsonaro que se salvou de um atentado está sendo ameaçado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) e pelo Comando  Vermelho (CV).

27 de dezembro de 2018


Mulher é presa com contabilidade do PCC na calcinha
Folha de S.Paulo → Redação
→ São Paulo
→ Sistema Carcerário

Dessa vez foi na Penitenciária de Getulina...

Um domingo de visita como outro qualquer, mas a agente desconfiou que tinha alguma coisa de errado aquele volume na calcinha daquela senhora que estava indo visitar o filho preso.

Na minuciosa se descobriu que a calcinha estava forrada de estratos bancários e recibos de depósitos e na parte interna da calça-legging estava toda escrita em código.

24 de dezembro de 2018


O Chacal do PCC é capturado em Capitán Bado
abc color → Redação
→ Paraguai
→ Crimes Transnacionais

Bismaq Santos Figueiredo (Chacal ou Matraca) caiu por puro acaso. Estava passando por uma rua do bairro de San Roque em Capitán Bado, no departamento de Amambay e lá estavam os policiais olhando os documentos dos passantes.


Preso ligação do Okaida com o PCC no agreste
TV Jornal → Redação
→ Paraíba – Pernambuco – Rio Grande do Norte
→ Organização Criminosa

Há poucos dias o PCC Fuzil foi preso no mesmo prédio  em Caruaru em que estava morando o Okaida Edson Gomes da Silva. Segundo a polícia as duas facções criminosas estão trabalhando em conjunto.

Apesar da facção Okaida ter como base a Paraíba, ela estaria cuidando da distribuição de parte das drogas do Primeiro Comando da Capital para os estados de Pernambuco e Rio Grande do Norte.


20 de dezembro de 2018


A Ndrangheta e o Primeiro Comando da Capital
UOL → Cecilia Anesi, Giulio Rubino e Luís Adorno
→ Bahia – Rio de Janeiro – Santa Catarina – São Paulo
→ Bélgica – Bolívia – Espanha – Países Baixos – Paraguai – Portugal
→ Crimes Transnacionais

Essa fantástica reportagem da UOL desvenda os caminhos das drogas desde as florestas bolivianas e paraguaias, passando pelas estradas e portos brasileiros até o desembarque nos portos europeus.

Com a prisão de 90 integrantes da máfia italiana passou a ser conhecido em detalhes a participação da facção Primeiro Comando da Capital no mecanismo de importação de cocaína para o mercado europeu.

Embarcam nos portos brasileiros de Santos (São Paulo), Salvador (Bahia), Itajaí (Santa Catarina) e o do Rio de Janeiro algo em torno de uma tonelada de cocaína por ano que desembarcam nos portos de Róterdam (Países Baixos) e de Antuérpia (Bélgica), além de outros em Portugal, na Espanha e na África.

A operação conjunta entre as polícias da Itália, Alemanha, Bélgica e Países Baixos que trabalharam sob a coordenação da Eurojust.

19 de dezembro de 2018



Matador do PCC é preso por ação conjunta das polícias
→ G1 → Presidente Prudente
→ Pernambuco
→ Combate à facção

O GAECO de São Paulo, em mais um desdobramento da Operação  Echelon, que se baseia nos manuscritos que foram pescados no esgoto da P2 (Presídio de Presidente Venceslau), prendeu em Caruaru no agreste pernambucano Renato Carvalho de Azevedo.

O cara era “o cara” entre os matadores da facção. A polícia atribui à ele algo em torno de 200 homicídios. Com ele foram encontradas pistola, 82 munições, drogas, motos e veículos.

A Operação Echelon já capturou 63 integrantes da facção criminosa e seus desdobramentos identificaram criminosos em 14 estados brasileiros.

18 de dezembro de 2018 


53 PMs de um único batalhão são presos
UOL → Luís Adorno e Nathan Lopes
→ São Paulo
→ Corrupção Policial

A fronteira entre o céu e o inferno é muito mais tênue que as ingênuas almas imaginam. Ao contrário daquilo que é mostrado nos programas policiais televisivos, que nada mais são que circo para o deleite de romanos ávidos por sangue e aplicação de justiça fácil, criminosos e policiais vivem em um mundo muito próximo.

A denominada "Operação Ubirajara" prendeu 53 policiais militares por envolvimento com o crime organizado é apenas a ponta do iceberg que dificilmente será apurado.

Se o promotor público Lincoln Gakiya imagina que corre perigo por ser um dos cinco da lista negra do PCC, ele não faz ideia do que é realmente correr risco de vida.

Os 53 policiais pertenciam a apenas um dos 125 batalhões espalhados no estado de São Paulo e terão carta branca, a partir de 2019 para agir com força total contra a criminalidade. Foi assim que começou no Rio de Janeiro e agora estamos seguindo o mesmo caminho.

Para a prisão dos policiais foi necessária a presença de  promotores de Justiça e 450 policiais militares, sendo 280 corregedores e outros 170 do 2º Batalhão do Choque.
"A operação de terça-feira em um dos estados mais seguros do Brasil ressaltou a complexidade da situação de segurança do país, com policiais mal remunerados e treinados para denunciar grupos de traficantes sobre invasões, ou membros ativos de milícias paramilitares que combatem as gangues do narcotráfico." The New York Times 


Avança a investigação sobre a morte da PMf em Paraisópolis
R7 → Kaique Dalapola
→ São Paulo
→ Combate à facção

Mais oito integrantes do Primeiro Comando da Capital estão envolvidos na morte da policial militar Juliane dos Santos Duarte em Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo:

  • Um deles ainda não teve sua identidade descoberta
  • Alan Santos dos Prazeres que foi morto em um assalto
  • Tufão
  • Boy
  • Tom
  • Pururuca
  • Zona Sul ou Da Sul
  • Pânico
Com a divulgação dessa nova etapa, chega onze os criminosos que teriam participado do homicídio. O novelo foi puxado graças às informações conseguidas grampo das conversas privadas e em grupos de WhatsApp do irmão Sem Fronteira.

A Promotoria Pública também está investigando a participação de integrantes da facção na invasão de casas de testemunhas protegidas que devem testemunhar no caso do assassinato da policial.

17 de dezembro de 2018


Um milhão de Reais em três bocas de fumo

G1 → Gabriel Prado
→ São Paulo
→ Tráfico – Crimes Transnacionais

O Primeiro Comando da Capital girava R$ 1 milhão por mês nas biqueiras da Vila Nova Cachoeirinha. Apenas três biqueiras eram suficientes para chegar a esse valor, pois além do varejo, os traficantes da região traziam a mercadoria diretamente do Paraguai.

A operação da Polícia Civil se deu na favela Boi Malhado, conseguiu capturar três membros da facção, e outros quatro se evadiram pela mata.


Autoridades marcadas para morrer pelo PCC 1533
Terra → Redação
→ Paraguai
→ Corrupção – Crimes Transnacionais

Até o presidente paraguaio Mario Abdo Benítez foi obrigado a concordar que tem agentes da polícia trabalhando para o Primeiro Comando da Capital:
Aqui houve cumplicidade [...]. Quem sabe quanto dinheiro correu aqui? [...] o crime organizado se infiltrou [na polícia e no governo].
Dezoito policias que atuavam junto ao Agrupamento Especializado da Polícia Nacional do Paraguai, em Assunção foram presos.

16 de dezembro de 2018


Autoridades marcadas para morrer pelo PCC 1533
Estadão → Marcelo Godoy
→ São Paulo
→ Sistema Prisional – Organização Criminosa

São cinco as autoridades paulistas caçadas pelos integrantes do Primeiro Comando da Capital:
  • Lourival Gomes – secretario da Segurança Pública (SAP)
  • Coronel Telhada – deputado estadual
  • Antônio Ferreira Pinto – ex-secretário de Segurança Pública
  • Lincoln Gakiya – promotor de Justiça
  • Roberto Medina – coordenador dos presídios da região oeste
A lista foi passada a imprensa pelo setor de inteligência do Ministério Público MP-SP (GAECO).
Considerando a gravidade, levamos estes fatos ao conhecimento de vossa excelência, com a sugestão de que as autoridades nominadas sejam comunicadas. – Sebastião José Penna Filho Brasil e Amauri Silveira Filho


Adrian Alex Mauricio Lima, o PCC Cabelo volta ao Brasil
Ultima Hora → Edgar Medina
ABC Color → Roberto Duarte [a prisão de Cabelo em 2011]
→ Paraguai
→ Crimes Transnacionais

Não é qualquer gerente de biqueira que consegue influir nos algoritmos do Google, mas o irmão Cabelo, não é qualquer um. Há dias está sendo buscado aqui no site e nas ferramentas de procura da rede mundial de computadores.

Os PCCs Thiago Ximenes e Reinaldo Araújo fugiram da especializada da Polícia Federal paraguaia, e antes que Adrian Alex de Lima (Cabelo), Rafael dos Santos (Ponto 50) e Sidimar Cordeiro da Silva (Nei) fizessem o mesmo, o governo mandou-os de volta para o Brasil.

14 de dezembro de 2018


Plantando vento Dória garante que colherá a paz no estado
Folha de S.Paulo → Rogério Gentile e Rogério Pagnan
→ São Paulo
→ Combate à facção

São Paulo irá com tudo para cima do Primeiro Comando da Capital, garante o governador João Dória. Ele mesmo diz que vai para as mídias e acompanhará as ocorrências policiais de perto.

Além do trabalho de inteligência que hoje já é feito, garante que elevará ao nível máximo o enfrentamento à facção criminosa nas ruas e nas empresas que são usadas para lavar o dinheiro da facção.

O comando de ataque ficará por conta do general João Camilo Pires de Campos que estará a frente da Secretaria de Segurança Pública, que tem afinidade com aqueles que estarão a frente da Secretaria da Administração Penitenciária, as forças policiais militar e civil, as forças armadas e o Ministério Público.

A reportagem da Folha termina com um questionamento:
Integrantes das forças de combate ao crime organizado dizem que Doria tem ignorado pontos fundamentais para esse enfrentamento. Não cita que há alta taxa de corrupção na Polícia Civil, que há a necessidade de recomposição salarial das polícias e que as leis de combate à lavagem de dinheiro precisam ser aprimoradas. Sem isso, acham que tudo pode acabar em pirotecnia.


10 de dezembro de 2018



O ministro da Segurança Pública Sérgio Moro e o PCC
Último Segundo → Redação

→ Brasil

→ Sistema Prisional

Beleza, parece legal, os governadores querem que os presídios federais fiquem responsáveis pelos presos mais perigosos, como os líderes do Primeiro Comando da Capital e de outras organizações criminosas menores.

O abacaxi está sendo jogado no colo do ministro Sérgio Moro, que está achando que os governadores só estão querendo mandar os presos para as federais para esvaziarem seus próprios presídios sem abrir mão de mamar no suculentos "Fundo Penitenciário Nacional" e "Fundo de Segurança Pública".

Os estados começariam mandando a alta cúpula e daqui a pouco vão mandar até gerente de biqueira ligado à facções locais – devagar com o andor que o santo é de barro.



 A prisão do deputado federal ligado à facção PCC 1533
Infonet → Cassia Santana
Folha de Folha de S.Paulo → André Caramante [reportagem de 2009]
→ São Paulo – Sergipe
→ Organização Criminosa

A Polícia Federal aponta irregularidades nas contas de campanha do deputado federal eleito José Valdevan de Jesus Santos, o Valdevan 90 do PSC de Sergipe.

"[É o] primeiro caso de candidato eleito no Brasil, que tem nome vinculado à facção criminosa, que foi preso. Estamos falando do PCC, Primeiro Comando da Capital". – delegado Antonio José Silva de Carvalho

 Em 2009, segundo reportagem da Folha ele já estaria sendo investigado por suspeita de usar duas cooperativas de transporte coletivo de Taboão no estado de São Paulo para lavar dinheiro para a facção paulista.


O bilhete cifrado da facção PCC 1533 
Estadão → Marcelo Godoy
R7 → Fabíola Perez e Kaique Dalapola
→ São Paulo
→ Organização Criminosa

Maria Eliane de Oliveira e Alessandra Crisina Vieira eram quem levavam os bilhetes. Elas visitavam um preso que divide com Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola. A mensagem, segundo a polícia, determinava a morte do promotor de Justiça Lincoln Gakiya e do coordenador dos presídios Roberto Medina. A equipe de execução seriam os integrantes da "Sintonia Restrita" da facção.


Veja abaixo o atual alfabeto do PCC, utilizado em cartas recentes:

A - 9C
B - X1
C - 854
D - P2
E - CK
F - M5
G - 723
H - 8A
I - XT
J - 148
L - K9
M - V8
N - W2
O - A3
P - B5
Q - D2
R - 659
S - 4M
T - G3
U - HN
V - F7
W - OP
X - NT
Z - 491

ANTIGOS DE NOTÍCIAS:
Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Comentários

Correspondentes: